14:56 23 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, e o presidente da Rússia, Vladimir Putin, durante o Fórum Econômico do Oriente, Vladivostok, Rússia, 3 de setembro de 2016

    Por que razão Japão e Rússia de súbito decidem se aproximar?

    © Sputnik / Sergei Guneev
    Ásia e Oceania
    URL curta
    3543
    Nos siga no

    Os passos mais recentes dados pelo primeiro-ministro nipônico, Shinzo Abe, mostram que o Japão aposta em reforçar a cooperação com a Rússia. O jornal Asia Times analisa as razões que empurraram Abe a estreitar os laços com Moscou.

    "Depois do fim da Guerra Fria e, apesar da complementaridade das economias da Rússia e do Japão, bem como dos seus interesses e comuns e problemas do Extremo Oriente, o fim de antipatia mútua permanecia <…> ilusória", diz-se na matéria.

    Entretanto, no mês passado Abe deu uma série de passos importantes para a aproximação entre Moscou e Tóquio. Primeiro, criou o novo Ministério para Assuntos da Cooperação Econômica com a Rússia, encabeçado pelo ministro Hiroshige Seko. Segundo, nomeou o seu irmão, Nobuo Kishi, como ministro das Relações Exteriores responsável pelos contatos com a Rússia. Terceiro, lançou uma campanha na mídia local sobre a prontidão de Tóquio de participar de grandes projetos econômicos apesar do impasse na questão das Ilhas Curilhas.

    Ao mesmo tempo, nota o Asia Times, a base da cooperação econômica agora deve partir do princípio de que a Rússia não pode e não irá desistir da sua posição na disputa territorial. Um dia antes do encontro com Abe, o líder russo Vladimir Putin esclareceu que Moscou "não vende seus territórios", mas quer encontrar uma solução para o problema.

    Além de relações econômicas, Abe decidiu intensificar relações com Moscou por causa das condições geopolíticas desfavoráveis a Tóquio.

    "A tensão crescente nas relações entre a Rússia e os EUA levou Moscou começar a construir uma nova base marítima militar na ilha de Matua, nas ilhas Curilhas. Embora Matua não seja reclamada pelo Japão, este fato tem uma importância estratégica e militar, tendo em conta que ali será deslocado um aeródromo para os aviões estratégicos Tu-22M3, capazes de levar mísseis de cruzeiro de longo alcance, bem como a hipótese de instalar submarinos equipados com mísseis", diz-se no texto.

    Entre outros fatores indicados pelo Asia Times está a ascensão econômica e militar da China, os laços reforçados sino-russos, as divergências sino-americanas, as tensões no Extremo Oriente, a controversa influência dos EUA na Ásia-Pacífico.

    No meio de tudo isso, o apelo de Abe para acabar com esta "situação pouco normal" significa que a Rússia "pode vencer o jogo de pôquer com os EUA" e que "a política de isolamento da Rússia promovida por Washington falhou".

    Mais:

    Putin: Rússia não vende seus territórios, mas a paz com Japão é importante
    Japão considera comprar parte de estatal petrolífera russa
    Japão está pronto para cooperar com Rússia, apesar da disputa pelas Ilhas Curilas
    Japão quer invadir mercado africano substituindo China?
    Será que Rússia e Japão efetuarão missões humanitárias conjuntas na Síria?
    Tags:
    aproximação, resolução, assuntos, cooperação, Shinzo Abe, Vladimir Putin, EUA, Rússia, Japão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar