12:12 18 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    241167
    Nos siga no

    EUA estão prontos para responder às "ações imprudentes ou agressivas" da Rússia contra os interesses de Washington e de parceiros.

    "Deixamos claro que se a Rússia decidir tomar medidas imprudentes ou agressivas contra os nossos interesses, contra os interesses dos nossos aliados e parceiros, nós vamos responder", afirmou.

    Secretário de Estado dos EUA notou que tal resposta não seria dada para provocar um conflito, mas, sim, porque "tais desafios não podem ficar impunes".

    Washington gostaria de ter relações mais estáveis e previsíveis com Rússia, afirmou o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, em uma coletiva de imprensa na Islândia.

    "Nós preferiríamos ter relações mais estáveis e previsíveis com Rússia", disse Blinken.

    Chefe da diplomacia dos EUA declarou também que Washington quer que a região do Ártico continue sendo uma zona livre de conflitos.

    "Conversamos sobre os nossos compromissos comuns em relação ao Ártico […]. Islândia e EUA querem que [o Ártico] permaneça livre de conflitos e que haja uma abrangente cooperação, com países agindo com responsabilidade", ressaltou.

    Antony Blinken observou que os Estados Unidos esperam que o encontro entre os presidentes norte-americano, Joe Biden, e o russo, Vladimir Putin, ocorra nas próximas semanas.

    "Como sabem, há uma proposta de uma reunião entre os presidentes Biden e Putin. Esperamos que aconteça nas próximas semanas", revelou.

    Declarações sobre a "ameaça russa" são feitas periodicamente por políticos ocidentais. Vladimir Putin afirmou anteriormente que a Rússia não tem intenção de atacar ninguém, adicionando que a tal ameaça russa é "uma invenção de quem quer tirar proveito de um papel de vanguarda na luta contra Rússia, para receber bônus e preferências em troca disso".

    Mais:

    OTAN intensifica atividades operacionais de combate no Ártico, diz Frota do Norte da Rússia
    MRE da Rússia: atividade russa no Ártico é 'válida e legítima' e a da OTAN gera questões
    EUA possuem exército secreto de 60 mil soldados, aumentando forças contra China e Rússia, diz mídia
    Tags:
    tensão diplomática, Antony Blinken, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar