10:57 16 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    431
    Nos siga no

    Na quinta-feira (20), partirá o primeiro voo com brasileiros deportados dos Estados Unidos durante o governo do presidente norte-americano Joe Biden. A Sputnik Brasil conversou com uma especialista para discutir a medida, que ecoa políticas do governo anterior e reflete dificuldade de Biden para manter promessas.

    O voo de deportação anunciado por Washington deve trazer de volta ao Brasil cerca de 130 brasileiros que tentaram entrar ilegalmente nos EUA. O número exato de pessoas ainda não foi confirmado. Esse tipo de deportação com aeronaves fretadas foi uma das marcas do governo anterior, de Donald Trump, e contrasta com a plataforma democrata, que levantou uma retórica humanitária em relação aos imigrantes.

    Para Denilde Holzhacker, professora de Relações Internacionais da Escola Superior de Propaganda e Marketing de São Paulo (ESPM-SP), a medida demonstra que o governo Biden está com dificuldades para sustentar as políticas propostas durante a campanha presidencial.

    Conforme dados de membros do governo norte-americano ouvidos pela CNN, o número de imigrantes ilegais encontrados na fronteira dos EUA foi de, em média, 6.000 por dia ao longo de abril, sendo que em março havia sido de 5,560 diariamente. Esse é o maior fluxo migratório do país em 20 anos.

    Segundo a Holzhacker, Biden adotou estratégias e medidas semelhantes às de Trump diante do recente aumento do fluxo migratório, o que tem insuflado críticas tanto dos defensores de direitos dos imigrantes, quanto dos que criticam a suposta permissividade anunciada pelo novo governo na política de imigração nos EUA.

    "[São] duas situações que levam ele [Biden] a assumir um papel que não era a expectativa e que mostra a retomada de uma política que ele mesmo havia criticado durante a campanha", aponta a pesquisadora em entrevista à Sputnik Brasil.

    Holzhacker comenta também que, em relação aos brasileiros sendo enviados de volta ao Brasil pelo governo democrata, a situação ainda não é clara o suficiente e ainda restam dúvidas sobre o que a medida representa.

    "Havia uma decisão de suspensão das deportações imediatas, algumas táticas do Trump também tinham sido suspensas. Então, é entender por que esse grupo de brasileiros está sendo deportado e se é parte de uma política sistemática que vai ser retomada, ou se é específica para o caso do Brasil", afirma, acrescentando que o fluxo de brasileiros tentando entrar nos EUA aumentou.

    A pesquisadora explica que caso essa seja realmente uma política contínua do governo Biden, é possível afirmar que há uma continuidade em relação ao governo anterior do campo da imigração. Apesar disso, Holzhacker salienta que o atual presidente dos EUA caminha em outra direção.

    "Se ele adotar esta política ele vai ter, sim, uma estratégia semelhante [à de Trump]. Mas, no geral, desde que o Biden assumiu o poder, ele tem feito sinalizações muito diferentes. Tanto na questão de mandar para o Congresso a reforma da imigração, com foco especificamente no tratamento aos imigrantes que chegam, regularizar mais de 11 milhões de imigrantes, no fortalecimento das comunidades locais, no compromisso de não separar famílias - algo que havia acontecido sistematicamente com Trump – e na lógica de atuação na fronteira", expõe a pesquisadora.
    Imigrante ajuda a levar a bandeira norte-americana à fronteira entre o México e os EUA, depois de ter ultrapassado a polícia mexicana na fronteira. A construção de um muro fronteiriço entre os EUA e o México mais fortificado foi uma das promessas da campanha eleitoral de Trump de 2016
    © AP Photo / Ramon Espinosa
    Imigrante ajuda a levar a bandeira norte-americana à fronteira entre o México e os EUA, depois de ter ultrapassado a polícia mexicana na fronteira. A construção de um muro fronteiriço entre os EUA e o México mais fortificado foi uma das promessas da campanha eleitoral de Trump de 2016

    Mudança de postura esbarra em quadro complexo

    A professora da ESPM-SP acredita que, apesar das críticas, como no caso das dificuldades encontradas para reunir famílias imigrantes e também na continuidade da detenção de menores na fronteira, há diversas ações de Biden que vão na direção contrária da política do governo de Donald Trump.

    "Acho que esse é um quadro um pouco mais amplo do que apenas dizer que ele [Biden] está assumindo a política do Trump", diz.
    O presidente dos EUA, Joe Biden, na Casa Branca em Washington, EUA, 15 de abril de 2021
    © REUTERS / TOM BRENNER
    O presidente dos EUA, Joe Biden, na Casa Branca em Washington, EUA, 15 de abril de 2021

    Segundo a professora, uma amostra sobre a mudança de percepção em relação à política norte-americana de imigração é o fato de que, em abril e março deste ano, o fluxo migratório disparou no país. Dessa forma, ela aponta que o quadro atual demonstra a complexidade da questão.

    "De fato, mostra que não é um problema de fácil resolução. E o Biden enfrenta um problema que todos os presidentes norte-americanos enfrentam desde os anos 1980. A gente viu a tentativa de reforma do [ex-presidente George W.] Bush, a tentativa do [ex-presidente Barack] Obama, as ações do Trump. Então, essa não é uma questão que envolve apenas uma solução, mas envolve uma série de questões", avalia.

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Mais:

    EUA terão boas notícias sobre abastecimento de combustível nas próximas 24 horas, diz Biden
    Em carta, generais aposentados dos EUA dizem que Biden leva país em 'direção ao socialismo'
    Militar dos EUA qualifica como 'traição' carta sobre saúde mental de Joe Biden
    Tags:
    Donald Trump, Joe Biden, Brasil, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar