12:48 21 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    1160
    Nos siga no

    O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, afirmou nesta sexta-feira (22) que governos estrangeiros falharam ao tentar instalar um estado paralelo no país e a nação venezuelana está mais forte do que nunca.

    Maduro participou de uma cerimônia de abertura do ano Judiciário em 2021.

    "Pretendia-se em 2017 construir o triângulo perverso em Bogotá, Miami e Madrid, um estado fantasioso, paralelo e virtual; quanto dano fizeram para a Venezuela, mas hoje podemos dizer que o estado nacional triunfou, a Venezuela é mais forte e estamos diante de um Poder Judiciário mais fortalecido", afirmou.

    Maduro lembrou que os líderes da oposição tentaram duplicar da Colômbia as funções do Tribunal Superior de Justiça (TSJ), do Ministério Público, da Controladoria e da Procuradoria-Geral da República, instalando instituições paralelas e ilegais na Venezuela.

    Nesse sentido, afirmou que o Estado conseguiu superar os ataques e que há na Venezuela uma justiça favorável.

    "O Estado venezuelano soube seguir em frente e hoje podemos dizer que estamos em melhor posição para dar os passos necessários na luta por uma justiça célere, efetiva e justa, justiça para os humildes, pobres e trabalhadores, a favor dos interesses da nação", afirmou.

    O presidente destacou que seu país possui um poder Judiciário poderoso, prestigiado e bem administrado.

    Maduro dirigiu-se aos juízes venezuelanos, sobre os quais "a verdade repousa e são o epicentro da justiça e da paz" da Venezuela.

    Mais:

    Venezuela firma acordo com a Rússia e vai produzir a Sputnik V
    Venezuela denuncia apropriação ilegal de filial de sua petrolífera nos EUA
    'Venezuela tenta aprofundar laços com o Brasil ao enviar oxigênio para Manaus', avalia especialista
    Venezuela inicia patrulhamento da costa atlântica em meio à disputa territorial com Guiana
    Tags:
    poder, Estados Unidos, Colômbia, Poder Judiciário, interferência estrangeira, Nicolás Maduro, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar