23:16 08 Março 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    105010
    Nos siga no

    A mídia americana reportou, citando "várias fontes", que a ameaça de vingança não parecia ser credível. Enquanto isso, ainda é incerta a origem da mensagem de ameaça.

    O FBI está investigando o conteúdo da ameaça de que um avião voaria contra o edifício do Capitólio, sede do Congresso dos EUA, na quarta-feira (6), como alegada retaliação pelo assassinato do major-general iraniano Qassem Soleimani, relatou a CNN se baseando em uma fonte familiarizada com o assunto.

    A mensagem de "vingança" foi primeiramente reportada pela CBS News, que afirmou ter obtido uma gravação de áudio da ameaça dizendo: "Vamos fazer voar um avião contra o Capitólio na quarta-feira [6]. Soleimani será vingado".

    De acordo com o canal, os controladores de tráfego aéreo foram alertados para informar imediatamente sobre qualquer ameaça ou desvio de avião de sua trajetória de voo.

    Pessoa se ajoelha diante de fotos do major-general iraniano Qassem Soleimani e do líder da milícia xiita iraquiana Abu Mahdi al-Muhandis, mortos em ataque dos EUA há exatamente um ano
    © REUTERS / Thaier Al-Sudani
    Pessoa se ajoelha diante de fotos do major-general iraniano Qassem Soleimani e do líder da milícia xiita iraquiana Abu Mahdi al-Muhandis, mortos em ataque dos EUA há exatamente um ano

    Em 3 de janeiro, o Irã cumpriu luto pelo primeiro aniversário do falecimento de Soleimani, que foi morto em um ataque de drone ordenado pelo presidente dos EUA, Donald Trump. O assassinato de Soleimani devastou a nação persa, onde ele era uma autoridade militar altamente respeitado, o que originou votos de retaliação pela sua morte. As autoridades iranianas também alertaram repetidamente sobre novos ataques de vingança.

    Em setembro, o comandante em chefe do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica, Hossein Salami, disse que Teerã vingaria a morte do major-general Qassem Soleimani, sendo os envolvidos na mesma o alvo principal de uma retaliação "honrosa".

    O aniversário da morte de Soleimani, no entanto, teve lugar sem nenhum ataque militar na região do Oriente Médio por parte do Irã, apesar da especulação da mídia. Porém, as tensões entre Washington e Teerã continuam extremamente altas.

    Mais:

    Teerã prepara 1.000 centrífugas para produção de urânio enriquecido a 20%
    Irã inicia 1º exercício em grande escala com centenas de drones (VÍDEO)
    Ex-chefes do Mossad: Irã vai esperar até Biden ser presidente para vingar assassinato de Soleimani
    Tags:
    Oriente Médio, tensões, EUA, Donald Trump, Irã, Qassem Soleimani
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar