11:10 07 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    5179
    Nos siga no

    Senadores republicanos aliados ao presidente Donald Trump estão prometendo desafiar os votos da eleição presidencial de 2020. Eles buscam não apenas simplesmente reverter os resultados de uma vez, mas criar uma investigação independente em cada estado norte-americano.

    Embora incomum, esta não seria a primeira vez na história dos EUA que tal processo viria à tona, escreve a Fox News. Foi o que aconteceu após a eleição de 1876, permitindo que Rutherford B. Hayes se tornasse presidente.

    "Devemos seguir esse precedente", disse o senador Ted Cruz, acompanhado de outros dez senadores atuais e recém eleitos, em um comunicado conjunto.

    "A saber, o Congresso deve nomear imediatamente uma Comissão Eleitoral, com plena autoridade de investigação e apuração de fatos, para realizar uma auditoria de emergência de dez dias dos resultados eleitorais nos estados em disputa. Depois de concluída, os estados individuais avaliariam as conclusões da comissão e poderiam convocar uma sessão legislativa especial para certificar uma mudança em seu voto, se necessário", concluiu Ted Cruz.

    ​Lançamento: Minha declaração antes do processo de certificação do Colégio Eleitoral em 6 de janeiro de 2021.

    "Em 1877, o Congresso não ignorou essas alegações, nem a mídia simplesmente rejeitou aqueles que as acusavam de radicais tentando minar a democracia. Em vez disso, o Congresso nomeou uma Comissão Eleitoral, composta por cinco senadores, cinco membros da Câmara e cinco juízes da Suprema Corte, para considerar e resolver as devoluções disputadas", diz uma parte do documento.

    Após o pronunciamento do senador, Trump foi às redes para endossar a ação do grupo:

    Os estados decisivos nem chegaram perto de seguir os ditames de suas legislaturas estaduais. As "leis eleitorais" desses estados foram elaboradas por juízes e políticos locais, não por suas legislaturas, e são, portanto, antes mesmo de se chegar às irregularidades e fraudes, inconstitucionais!

    A eleição de 1876

    Em 1876, Rutherford B. Hayes foi eleito presidente em uma eleição confusa. Inicialmente, ele perde no voto popular para o democrata Samuel J. Tilden, porém ganha na votação do colégio eleitoral. Até aí, tudo normal na política norte-americana. O que diferencia este pleito, porém, é que Hayes levou 20 votos eleitorais apenas depois que uma comissão do Congresso concedeu-lhe o contingente.

    Em 1877, após a eleição de 1876, votos na Flórida, Louisana e Carolina do Sul - e um eleitor do Oregon - foram disputados. O Congresso então criou uma comissão para determinar como os votos eleitorais deveriam ser alocados, reservando-se o direito de aceitar ou rejeitar as conclusões da comissão. No final, o Congresso concedeu todos os 20 votos eleitorais contestados a Hayes, que foi eleito com 185 votos eleitorais contra os 184 de Tilden.

    A eleição de 2020

    O senador James Lankford, que está entre os congressistas que exigem uma repetição da história presidencial do século XIX, descreveu como a comissão funcionaria. "É exatamente como a que foi criada em 1876, quando havia três estados que tinham todos os tipos de problemas de fraude. A comissão eleitoral foi criada naquela época, em 1876, para poder estudar o assunto, olhar sobre isso, fazer recomendações. Achamos que é um bom plano. Obviamente, há milhões e milhões de norte-americanos que pensam que há grandes problemas com esta eleição".

    Eleitores americanos fazem fila respeitando distanciamento social para votar na Igreja Batista Vickery durante a eleição presidencial americana
    © AP Photo / LM Otero
    Eleitores americanos fazem fila respeitando distanciamento social para votar na Igreja Batista Vickery durante a eleição presidencial americana

    Mais:

    Trump assina projeto de lei de gastos que inclui medidas de alívio contra a pandemia
    Provocadores israelenses planejam ataques às forças dos EUA no Iraque, diz chanceler iraniano
    Irã não iniciará guerra, mas 'é capaz de converter porta-aviões dos EUA em submarinos', diz general
    Tags:
    fraude eleitoral, compra de votos, votos, Donald Trump, senadores, Câmara dos EUA, Senado dos EUA, EUA, eleições
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar