10:50 11 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    0 01
    Nos siga no

    Desembolso de US$ 2 bilhões (cerca de R$ 10,24 bilhões) foi possível depois que a diretoria executiva do Fundo Monetário Internacional (FMI) concluiu a primeira revisão do acordo com o país sul-americano.

    A previsão é que os recursos do FMI cheguem em alguns dias, afirmou o presidente equatoriano Lenín Moreno no Twitter nesta terça-feira (22). O montante é concedido pelo prazo de dez anos, com carência de quatro anos e taxa de juros de 2,9%, especificou Moreno.

    Graças à gestão ordenada das finanças públicas, foi aprovado o segundo desembolso do FMI ao Equador, no valor de US$ 2 bilhões. Os recursos chegarão nos próximos dias. Prazo: dez anos, com quatro anos de carência. Taxa de juros: 2,9%.​

    Uma das condições que o Equador teve que cumprir para receber este pagamento foi a aprovação da Lei Anticorrupção com reformas do Código Penal Orgânico Integral, que a Assembleia Nacional realizou em 15 de dezembro.

    Lenín Moreno
    © REUTERS / Mariana Bazo
    Lenín Moreno

    Este é o segundo lote de US$ 2 bilhões desembolsado pelo FMI para o Equador. O primeiro desembolso ocorreu no dia 2 de outubro. O FMI se comprometeu em conceder um empréstimo de US$ 6,5 bilhões (R$ 33,28 bilhões) até dezembro de 2022.

    Moreno garantiu que os recursos serão destinados a seis setores: pequenos e médios fornecedores do Estado, centros de desenvolvimento infantil, governos seccionais, cancelamento da dívida com mais de três mil trabalhadores dispensados ​​de empresas públicas, pagamento a aposentados, restituição de impostos a cerca de 350 mil equatorianos e uma fatia do montante será usada para o programa de crédito do Estado.

    Este é o segundo empréstimo concedido pelo FMI ao Equador. O primeiro foi aprovado em 2019 no valor total de US$ 4,2 bilhões (R$ 21,50 bilhões) em troca da introdução no país sul-americano de fortes medidas de austeridade, que provocaram um surto social em outubro de mesmo ano.

    Como resultado, 11 pessoas morreram e outras 1.340 ficaram feridas nos confrontos com as forças de segurança equatorianas. Dos feridos, 11 perderam um olho ao serem atingidos por granadas de gás lacrimogêneo e pedras. Ao todo, 1.192 pessoas foram presas.

    Mais:

    Missão do FMI chega à Argentina para negociar devolução de empréstimo
    Países membros do BRICS compartilham visões em comum nas reformas de FMI, OMC e OMS, diz Putin
    Recuperação da economia global: FMI está otimista, mas nem tanto
    Parlamento da Nicarágua aprova decreto de assistência financeira do FMI
    Tags:
    Lenín Moreno, empréstimo, crise financeira, Equador, FMI
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar