14:20 17 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    Pandemia de COVID-19 no mundo no início de dezembro (93)
    091
    Nos siga no

    A situação gerada pela COVID-19 é "dramática" e levará a América Latina a uma "pandemia de fome", alertou nesta quarta-feira (2) o diretor regional do Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas, Miguel Barreto.

    "Estamos em uma situação dramática. Com a COVID-19, isso está se transformando em uma pandemia de fome, já que um em cada três habitantes da região não tem acesso a alimentos nutritivos e suficientes", disse Barreto durante a apresentação do "Panorama da Segurança Alimentar e Nutricional na América Latina e Caribe 2020", elaborado por cinco entidades da organização.

    ​​Segue a apresentação do "Panorama da Segurança Alimentar e Nutricional na América Latina e Caribe 2020".

    O diretor alertou que se essa tendência continuar, não será possível cumprir a meta de fome zero presente nos "Objetivos de Desenvolvimento Sustentável", porque, em 2030, haverá 67 milhões de pessoas passando fome na região, "sem considerar o impacto da COVID-19".

    Segundo a ONU, entre 2000 e 2014, a fome na América Latina e Caribe caiu mais de 50%, mas voltou a aumentar depois disso. Ao mesmo tempo, também estão aumentando os quadros de sobrepeso e obesidade na região, afetando 262 milhões de pessoas. Doenças crônicas relacionadas a uma dieta pobre em nutrientes e rica em gordura, sal e açúcar estão entre as principais causas de morte pelo mundo.

    Tema:
    Pandemia de COVID-19 no mundo no início de dezembro (93)

    Mais:

    Dia Mundial da Alimentação: Lula diz que 'agro pode ser pop', mas não resolve fome (VÍDEO)
    Pandemia agravou insegurança alimentar e Brasil pode voltar ao Mapa da Fome, dizem economistas
    Empresários portugueses fazem greve de fome devido às medidas impostas contra a pandemia (VÍDEO)
    Tags:
    América Latina, fome, COVID-19, alimentação, Programa Alimentar Mundial, novo coronavírus, pandemia, ONU
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar