04:50 29 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    2511
    Nos siga no

    O ex-policial de Minneapolis, Derek Chauvin, preso pelo assassinato do ex-segurança negro George Floyd, foi libertado nesta quarta-feira (7) após pagar fiança de um milhão de dólares, equivalente a R$ 5,62 milhões.

    Chauvin foi libertado sob a condição de não voltar a trabalhar em segurança pública e de não se aproximar da família de Floyd. Também terá de abrir mão de suas licenças para usar armas de fogo.

    O assassinato de George Floyd gerou uma onda de protestos pelo fim do racismo e da violência policial nos EUA e em todo o mundo.

    Chauvin e os outros três ex-agentes que participaram da ação que terminou com a morte de Floyd devem ser julgados em março. Se for condenado, Chauvin pode pegar até 40 anos de prisão pelo homicídio. As informações foram publicadas pela agência Reuters.

    Durante a abordagem policial, George Floyd teve o pescoço prensado no chão por Chauvin, durante oito minutos e 46 segundos. A cena foi filmada e viralizou nas redes sociais.

    Os quatro policiais envolvidos na abordagem foram demitidos. Chauvin estava cumprindo pena em um presídio de segurança máxima.

    Mais:

    Manifestações nos EUA seriam só pela morte de George Floyd?
    Autópsia independente comprova que George Floyd morreu de asfixia
    Polícia de Minneapolis, onde George Floyd foi morto, será desmantelada
    Tags:
    protestos, racismo, assassinato, Polícia dos EUA, letalidade policial, violência policial, policial, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar