05:14 31 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    2125
    Nos siga no

    O presidente deposto da Bolívia, Evo Morales, denunciou nesta sexta-feira (8) que em seu país "se prepara um novo golpe de Estado" que busca "instaurar um governo de civis e militares".

    Segundo Morales, o plano é organizado por dois generais: Sergio Carlos Orellana, comandante em chefe das Forças Armadas de Bolívia, e Iván Ortiz Bravo, chefe do Departamento Terceiro do Comando em Chefe.

    Assim, salientou que para executar o plano "chegaram dois aviões com armas dos EUA e foram enviados franco-atiradores a El Alto e Chapare".

    É condenável que o governo de fato envie franco-atiradores à cidade de El Alto e Trópico de Cochabamba para que atuem contra grupos de cidadãos que defendem eleições e democracia. Pretendem usar armas de calibre 22 e 25 para acusar de enfrentamentos os movimentos sociais.

    El Alto, cidade vizinha da capital boliviana La Paz, e Chapare, província do departamento de Cochabamba, são os principais focos dos protestos contra o novo adiamento das eleições gerais, que estavam previstas para ocorrer em 6 de setembro e foram adiadas para 18 de outubro.

    Morales foi presidente da Bolívia até 10 de novembro de 2019, se retirando do país sul-americano após fortes protestos motivados pelas últimas eleições presidenciais bolivianas. Desde então, o ex-mandatário alerta para a erosão do ambiente democrático do país.

    Tags:
    presidência, América Latina, eleições, golpe, Bolívia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar