14:38 15 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    10244
    Nos siga no

    O governo venezuelano rechaçou a sanção que os EUA impuseram contra a companhia aérea estatal, Conviasa, considerando que a medida pretende afetar as empresas do país.

    "A Venezuela rechaça energicamente o novo ataque do governo dos EUA e sua máquina imperial contra o povo venezuelano, suas instituições democráticas e suas empresas estatais, especificamente, a ilegal e arbitrária medida ditada pelo Departamento do Tesouro dos EUA contra nossas linhas aéreas nacionais Conviasa", diz o comunicado da chancelaria venezuelana.

    Nesta sexta-feira (7), o Departamento do Tesouro dos EUA sancionou a Conviasa e 40 de suas aeronaves. De acordo com o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, o governo venezuelano depende em muito da companhia aérea para viajar ao exterior.

    Nesse sentido, o comunicado ressalta que a nova medida viola os tratados internacionais relacionados ao transporte aéreo.

    "Com esta nova medida coercitiva unilateral, extraterritorial e violadora do Direito Internacional e dos tratados internacionais que regulam o transporte aéreo, a administração Trump dá mais um passo em sua escalada de agressões contra o povo venezuelano", cita o comunicado.

    O executivo também assegurou que a sanção contra a Conviasa busca afetar o plano "De volta à Pátria", que o governo de Maduro executa para repatriar os venezuelanos que migraram para outros países, bem como a "Missão Milagre", para o transporte de pacientes que precisem de operações oftalmológicas.

    No dia 5 de fevereiro, o governo dos EUA havia ameaçado impor novas sanções contra a Venezuela.

    A crise política no país sul-americano foi agravada em janeiro de 2019, quando o opositor Juan Guaidó se autoproclamou presidente interino do país.

    Mais:

    Venezuela anuncia retorno de mais 250 migrantes através do plano de repatriação
    Após se reunir com Guaidó, presidente francês defende eleições 'livres' na Venezuela
    Exercícios militares na Colômbia seriam instruções dos EUA para 'possível ataque' à Venezuela
    Tags:
    EUA, Venezuela, sanções, companhias aéreas, avião
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar