09:00 30 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    879
    Nos siga no

    Neste domingo (26), o astro do basquete norte-americano, Kobe Bryant, faleceu em acidente de helicóptero, na cidade de Los Angeles, nos EUA. Autoridades e testemunhas levantam as primeiras hipóteses sobre a causa da queda.

    O lendário jogador de basquete Kobe Bryant, 41 anos, que fez sua carreira no time norte-americano Los Angeles Lakers, faleceu na manhã deste domingo (27), após helicóptero no qual voava cair e explodir, no condado de Calabasas. Sua filha Gianna, de 13 anos, também estava a bordo.

    "Nossos bombeiros caminharam até o local do acidente, com o equipamento médico e as mangueiras para extinguir um incêndio complicado, gerado tanto por incêndio florestal quanto [...] pelo helicóptero", disse o chefe do Corpo de Bombeiros de Los Angeles, Darys Osby.

    "O fogo também tinha magnésio, o que é muito difícil para os bombeiros extinguirem, uma vez que ele reage com oxigênio e com água", explicou.

    A Agência Federal de Aviação dos EUA, o Conselho Nacional de Segurança no Transporte (NTSB, na sigla em inglês) e o FBI estão investigando o acidente. A aeronave, um Sikorsky S-76B construído em 1991, nunca havia se acidentado, de acordo com a base de dados da NTSB, reportou o Los Angeles Times.

    "As condições climáticas não estavam de acordo com os nossos padrões mínimos de voo", afirmou Rubenstein. A nebulosidade era "tão forte que nós não estávamos realizando voos".

    A nebulosidade estava intensa no domingo de manhã, de acordo com o porta-voz da divisão de auxílio ao tráfico aéreo do Departamento de Polícia de Los Angeles, Josh Rubenstein. A própria polícia não operou seus helicópteros durante a manhã, por causa do mau tempo. 

    • Oficiais de justiça investigam as causas do acidente que matou a estrela do basquete, Kobe Bryant, em Calabasas, na Califórnia, em 26 de janeiro de 2020
      Oficiais de justiça investigam as causas do acidente que matou a estrela do basquete, Kobe Bryant, em Calabasas, na Califórnia, em 26 de janeiro de 2020
      © REUTERS / Ringo Chiu
    • Membros do corpo de bombeiros e legistas iniciam a tarefa de retirada dos corpos do local do acidente de helicóptero que matou Kobe Bryant e mais oito pessoas, em Calabasas, nos EUA
      Membros do corpo de bombeiros e legistas iniciam a tarefa de retirada dos corpos do local do acidente de helicóptero que matou Kobe Bryant e mais oito pessoas, em Calabasas, nos EUA
      © REUTERS / Jayne Kamin-Oncea
    • Fumaça de incêndio durante tempo nebuloso no local do acidente de helicóptero que matou a estrela do basquete Kobe Bryant, sua filha, Gianna, e mais sete pessoas, em 26 de janeiro de 2020
      Fumaça de incêndio durante tempo nebuloso no local do acidente de helicóptero que matou a estrela do basquete Kobe Bryant, sua filha, Gianna, e mais sete pessoas, em 26 de janeiro de 2020
      © REUTERS / INSTAGRAM / @PRINCESSOFCALABASAS
    • Membros do corpo de bombeiros e legistas trabalham próximos aos destroços do helicóptero que levava Kobe Bryant e mais 8 passageiros, que caiu em Calabasas, na Califórnia
      Membros do corpo de bombeiros e legistas trabalham próximos aos destroços do helicóptero que levava Kobe Bryant e mais 8 passageiros, que caiu em Calabasas, na Califórnia
      © REUTERS / Jayne Kamin-Oncea
    1 / 4
    © REUTERS / Ringo Chiu
    Oficiais de justiça investigam as causas do acidente que matou a estrela do basquete, Kobe Bryant, em Calabasas, na Califórnia, em 26 de janeiro de 2020

    O xerife do condado de Los Angeles, Alex Villanueva, fez declaração similar, dizendo que os helicópteros de sua divisão tampouco estavam realizando voos no domingo de manhã "basicamente por causa do tempo".

    O piloto da empresa Island Express Helicopters, que já voou com Kobe Bryant, Kurt Deetz, avaliou que as condições de voo no domingo de manhã "não estavam nada boas". 

    Com os dados obtidos até agora, é mais provável que o acidente tenha sido causado pelas condições climáticas do que por fatores mecânicos ou falhas de motor, acredita Deetz.

    "A possibilidade de uma falha catastrófica em ambos os motores daquela aeronave -isso simplesmente não acontece", disse o piloto.

    A aeronave Sikorsky S-76B é equipada com dois motores, ambos produzidos pela Pratt & Whitney do Canadá.

    De acordo com as informações que vieram a público e com a extensão na qual os destroços se espalharam no terreno, o helicóptero poderia estar voando muito rápido no momento do acidente, ponderou Deetz, provavelmente a cerca de 260 quilômetros por hora.

    Fãs lamentam a morte do jogador de basquete Kobe Bryant, em Los Angeles, nos EUA, no dia 26 de janeiro de 2020
    © REUTERS / Kyle Grillot
    Fãs lamentam a morte do jogador de basquete Kobe Bryant, em Los Angeles, nos EUA, no dia 26 de janeiro de 2020

    A rota indica que o tempo de voo era de 40 minutos, o que poderia indicar que o tanque da aeronave carregava até 95 litros de combustível, "suficiente para começar um incêndio bastante grande", estimou Deetz. 

    Uma testemunha conta que estava do lado de fora de uma igreja, tomando café, quando ouviu o barulho de um helicóptero que voava de maneira anormal, com altitude bastante baixa e aparentando estar com dificuldades para controlar seu rumo.

    "O barulho estava estranho e ele [voava] muito baixo. Eu vi o helicóptero caindo e ouvi barulhos de motor. Mas estava difícil distinguir, já que a nebulosidade estava muito densa", revelou Jerry Kocharian.

    Segundo a testemunha, o helicóptero desapareceu na nebulosidade e então ouviu-se um forte barulho de explosão.

    "Vi uma grande bola de fogo. Ninguém poderia sobreviver a isso", disse a testemunha.

    A fabricante do helicóptero, Sikorsky, empresa subsidiária da Lockheed Martin, divulgou informe no domingo (26), no qual se coloca à disposição das autoridades para cooperar com as investigações.

    A liga nacional norte-americana de basquete, NBA, confirmou que Kobe Bryant e sua filha Gianna estão entre os mortos, em informe emitido na manhã de domingo a todas as equipes e funcionários da liga.

    Fãs lamentam a morte do astro do basquete, Kobe Bryant, no centro Staples, em Los Angeles, no dia 26 de janeiro de 2020
    © REUTERS / Harrison Hill
    Fãs lamentam a morte do astro do basquete, Kobe Bryant, no centro Staples, em Los Angeles, no dia 26 de janeiro de 2020

    Os legistas do condado de Los Angeles estão trabalhando na retirada dos corpos e ainda não identificaram nenhuma vítima oficialmente.

    O acidente ocorreu pouco antes das 10h da manhã, horário local (cerca de 15h do horário de Brasília), próximo ao condado de Calabasas, na cidade de Los Angeles.

    As autoridades receberam chamada de urgência às 9h47 (cerca de 14h47 do horário de Brasília) e bombeiros se dirigiram ao local do acidente, de difícil acesso. A queda do helicóptero gerou incêndio florestal em cerca de quatro acres de terreno acidentado.

    Mais:

    Nova falha encontrada no Boeing 737 MAX pode estar relacionada aos acidentes mortais do avião
    Ao menos 20 mortes e dezenas de feridos em acidente de ônibus no Irã
    Aeronave militar da África do Sul se acidenta no Congo (FOTOS, VÍDEO)
    Tags:
    acidente, helicóptero, NBA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar