02:30 30 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    11203
    Nos siga no

    O governo venezuelano anunciou ter iniciado o processo diplomático para a entrega dos cinco militares retidos no Brasil, presumivelmente envolvidos no ataque a um batalhão no passado dia 22 de dezembro.

    O ministro das Relações Exteriores da Venezuela, Jorge Arreaza, informou que o Governo do país iniciou o processo diplomático para entrega de cinco desertores do Exército venezuelano que participaram no assalto a uma unidade militar.

    O chanceler indicou por meio de um comunicado que o grupo de cidadãos deve responder "perante a Justiça venezuelana". Para além disso, o diplomata afirmou que nunca defenderia "atos de desestabilização de unidades democráticas do Brasil", que visem perturbar a tranquilidade pública.

    A Venezuela informa que iniciou os trâmites diplomáticos para a entrega de cinco desertores do exército venezuelano responsáveis pelo assalto armado ao batalhão 513 de infantaria de Gran Sabana, capturados pelas forças de segurança pública do Brasil.

    No dia 22 de dezembro, o ministro da Defesa venezuelano, Vladimir Padrino López, disse que um militar faleceu durante o assalto armado ao batalhão 513 Mariano Montilla, no município de Gran Sabana, no estado fronteiriço de Bolívar.

    Para além disso, a Venezuela reportou no dia 23 de dezembro que, durante o ataque ao batalhão, foram roubados 120 fuzis de assalto e nove lança-foguetes RPG, destinados a ser utilizados em uma operação de bandeira falsa para permitir uma intervenção militar por parte dos EUA contra a Venezuela.

    A Venezuela acusou os governos da Colômbia, Brasil, Equador e Peru de facilitarem seus territórios para a preparação e trânsito de pessoas com o objetivo de realizar atentados contra várias unidades militares no país caribenho.

    Mais:

    Ministro da Venezuela acusa Brasil de envolvimento em ataque contra unidade militar
    Maduro diz que armas roubadas das Forças Armadas da Venezuela estão no Brasil
    Tags:
    EUA, desertores, fronteira, Jorge Arreaza, militares, Brasil, Venezuela, Crise
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar