04:49 22 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Apoiadores do governo da Venezuela durante manifestação com cartazes contra o presidente dos EUA Donald Trump em Caracas, na Venezuela

    Chefe do Comando Sul dos EUA diz que está preparado para conter Maduro

    © REUTERS / Manaure Quintero
    Américas
    URL curta
    1317
    Nos siga no

    O chefe do Comando Sul dos EUA afirmou que as autoridades militares estão se concentrando na preparação para "o dia seguinte" após o "isolado" presidente venezuelano Nicolás Maduro deixar o poder.

    O almirante da Marinha, Craig Faller, alertou nesta segunda-feira (19) contra o "formidável sistema de armas" da Venezuela e criticou Cuba, Rússia e China por ajudar Maduro, dizendo que era importante colocar "pressão contínua" no "regime ilegítimo" e organizar esforços humanitários.

    O comandante militar dos EUA também afirmou que está "pronto" e preparado para fazer "o que precisa ser feito".

    "A Marinha dos Estados Unidos é a mais poderosa do mundo. Se for tomada a decisão política de usar a Marinha, estou convencido de que poderemos fazer o que precisa ser feito."

    A fala ocorre semanas depois do presidente Donald Trump afirmar que estava considerando um "bloqueio ou quarentena" da Venezuela.

    Faller também compartilhou a preocupação com a crescente influência da China no Brasil. A China é o maior investidor estrangeiro do país sul-americano.

    O comandante está no Rio de Janeiro para um exercício marítimo multinacional este mês, que visa em parte coordenar melhor a resposta às ameaças da guerra cibernética e aos desastres naturais.

    Mais:

    O que há em comum entre os bloqueios a Cuba e Venezuela?
    Trump sugere bloqueio naval da Venezuela
    Rússia e Venezuela assinam acordo de visitas de navios de guerra
    Washington estaria dialogando secretamente com Diosdado Cabello, número 2 da Venezuela
    Imprensa encaixa Venezuela na lista dos países que mais devem dinheiro à Rússia
    Tags:
    Nicolás Maduro, Venezuela, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar