23:26 24 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    4293
    Nos siga no

    O ministro das Relações Exteriores do Paraguai, Luis Alberto Castiglioni, apresentou hoje o seu pedido de renúncia em meio à crise provocada por um recente acordo firmado com o Brasil, que obrigaria os paraguaios a adquirir eletricidade da hidrelétrica binacional de Itaipu por um preço maior do que o atual.

    "Por ética e responsabilidade política, coloquei o meu cargo à disposição do presidente Mario Abdo. Lamento que a deturpação tenha levado a esse estado de tensão. Tudo foi feito de forma transparente e em benefício do país", disse Castiglioni através de sua conta no Twitter. 

    ​O ministro, cuja renúncia ainda não foi aceita, foi ao parlamento na última segunda-feira para explicar o alcance do polêmico acordo

    ​"Do lugar que tenho que agir, continuarei a trabalhar pelo engrandecimento do nosso querido Paraguai", acrescentou o chanceler.

    Além do ministro das Relações Exteriores, também teriam colocado seus cargos à disposição Alcides Jiménez, presidente da Administração Nacional de Eletricidade (ANDE), o embaixador paraguaio em Brasília, Hugo Saguier, e o presidente da Itaipu Binacional, José Alberto Alderete.

    Mais:

    Paraguai é obstáculo para as relações entre Mercosul e China, diz vice-chanceler uruguaio
    Polícia do Paraguai mata 6 suspeitos de integrar o Comando Vermelho
    Bolsonaro inaugura com Paraguai as obras de nova ponte que ligará os 2 países
    Tags:
    Mario Abdo Benítez, Assunção, Itaipu, Itaipu Binacional, Mercosul, América Latina, América do Sul, Paraguai, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar