02:32 23 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Agentes do Serviço Secreto dos Estados Unidos preparam-se para entrar na embaixada venezuelana para despejar e prender os quatro últimos ativistas apoiadores do presidente venezuelano Nicolás Maduro em Washington.

    Venezuela tentou negociar com autoridades dos EUA para evitar invasão de embaixada

    © REUTERS/ Carlos Barria
    Américas
    URL curta
    7110
    Nos siga no

    Autoridades de Caracas tentaram entrar em contato com autoridades dos EUA para resolver a questão em torno da ocupação e possível tomada da embaixada venezuelana em Washington, disse o embaixador venezuelano na ONU, Samuel Moncada, durante uma entrevista coletiva.

    "Tentamos várias vezes conversar com as autoridades dos EUA… para resolver esse assunto", disse Moncada a repórteres na quarta-feira.

    Ativistas dos EUA ocuparam a embaixada venezuelana desde o final de abril para evitar que a oposição assuma o poder. Na noite de segunda-feira, o Serviço Secreto invadiu o local e ordenou que os ativistas deixassem a embaixada ou enfrentassem prisão e acusação. 

    Mesmo com as advertências, pelo menos quatro ativistas permaneceram no prédio. Eles alegam estar legalmente dentro de uma instalação diplomática, residindo como convidados do legítimo governo venezuelano conduzido pelo presidente Nicolás Maduro, e sujeitos à Convenção de Viena, que estabelece a inviolabilidade de missões consulares.

    O governo venezuelano caracterizou a invasão das autoridades dos EUA em sua embaixada em Washington como uma violação do direito internacional.

    Autoridades norte-americanas desligaram a água no sábado e impediram que alimentos e suprimentos médicos fossem entregues nas instalações, em uma tentativa de forçar a saída dos manifestantes.

    Tags:
    Convenção de Viena, Embaixada da Venezuela nos EUA, Nicolás Maduro, Samuel Moncada, Venezuela, Estados Unidos, Caracas, Washington
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar