22:58 23 Maio 2019
Ouvir Rádio
    Presidente norte-americano, Donald Trump, durante discurso na Casa Branca em Washington, EUA, 8 de dezembro de 2018

    Trump diz que está monitorando de perto a situação na Venezuela

    © AP Photo / Carolyn Kaster
    Américas
    URL curta
    712

    A crise na Venezuela evoluiu drasticamente no começo desta terça-feira (30) após o líder oposicionista Juan Guaidó ter convocado a população e o exército às ruas e derrubar o governo de Maduro.

    O presidente norte-americano, Donald Trump, declarou na tarde desta terça-feira (30) que está estão acompanhando de perto o desenvolvimento da situação na Venezuela, que se agravou drasticamente no começo do dia. De acordo com ele, os EUA estão do lado do "povo venezuelano e e da sua liberdade". 

    "Estou monitorando a situação na Venezuela de muito perto. Os Estados Unidos estão com o povo da Venezuela e sua liberdade!", publicou Trump em seu Twitter. 

    O chanceler venezuelano Jorge Arreaza, por sua vez, denunciou a violência adotada pela oposição.

    "Denunciamos ao mundo as ações violentas da oposição golpista na Venezuela. É o que alguns governos de direita da América Latina apoiam e comemoram. Eles dizem que querem soluções pacíficas e, ao mesmo tempo, apoiam os líderes violentos e golpistas", escreveu o chanceler em seu Twitter.

    De acordo com ele, o autoproclamado presidente venezuelano, Juan Guaidó, age sob ordens norte-americanas. 

    "Não existe uma tentativa de golpe das forças armadas. Isto está sendo diretamente planejado em Washington, no Pentágono e no Departamento de Estado", afirmou.  

    Anteriormente, o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, declarou que os principais comandantes militares estão ao seu lado e pediu "máxima mobilização popular para assegurar a vitória da paz". 

    Mais:

    Rússia diz que crise na Venezuela deve ser resolvida por diálogo 'sem condições prévias'
    Metrô de Caracas fecha parcialmente em meio a tentativa de golpe na Venezuela
    México aciona Mecanismo de Montevidéu para tratar da crise na Venezuela
    Exército da Venezuela expressa apoio a Nicolás Maduro
    Tags:
    crise, Juan Guaidó, Nicolás Maduro, Donald Trump, Venezuela, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar