22:14 24 Maio 2019
Ouvir Rádio
    Roger Waters se apresenta em um concerto em Assago, na Itália

    Chanceler venezuelano se reúne com Roger Waters

    © AP Photo / Luca Bruno
    Américas
    URL curta
    360

    O ministro venezuelano das Relações Exteriores, Jorge Arreaza, reuniu-se com o ex-líder da banda de rock britânica Pink Floyd, Roger Waters, a quem agradeceu por seu apoio.

    "É um privilégio ter compartilhado em Nova York com nosso irmão Roger Waters, uma lenda viva do rock, com sensibilidade e inteligência para apoiar os povos livres que são atacados pelo imperialismo. Obrigado Roger!", escreveu Arreaza em seu Twitter.

    Em repetidas ocasiões, Waters pronunciou-se a favor do governo de Nicolás Maduro e descreveu como um fracasso a tentativa dos Estados Unidos de "mudar o regime na Venezuela".

    Em fevereiro, o músico disse que o concerto Venezuela Live Aid, que foi realizado na cidade colombiana de Cúcuta (nordeste) para arrecadar 100 milhões de dólares para os venezuelanos afetados pela crise, foi apenas uma estratégia dos EUA para assumir o controle desse problema. país

    Roger Waters destacou que na Venezuela não há ditadura.

    A crise na Venezuela se agravou em janeiro, quando Juan Guaidó foi eleito presidente da Assembleia Nacional controlada pela oposição. Ele recebeu o apoio dos Estados Unidos e muitos países ocidentais, ao se declarar presidente interino da nação bolivariana. 

    A Rússia, China, Cuba, Turquia e vários outros países reafirmaram apoio a Nicolás Maduro como o único presidente legítimo da Venezuela e pediram a não interferência nos assuntos internos do país.

    Mais:

    Moscou condena sanções dos EUA contra ministro das Relações Exteriores da Venezuela
    Ativista protesta contra política dos EUA na Venezuela em evento oficial (VÍDEO)
    'Imagine': diplomata dos EUA evoca John Lennon por uma Venezuela 'próspera'
    Tags:
    ditadura, sanções, Jorge Arreaza, Roger Waters, Venezuela, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar