05:54 01 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    350
    Nos siga no

    Um tribunal da Califórnia aprovou indenização de US$ 80 milhões a um fazendeiro como compensação por um tipo agressivo de câncer desenvolvido após uso sucessivo do famoso herbicida Roundup da Monsanto.

    Na semana passada, a defesa de Edwin Hardeman, um fazendeiroo de 70 anos que moveu o processo, apresentou ao corpo de jurados em San Francisco, provas que associavam o uso do Roundup para matar ervas daninhas em sua fazenda e o linfoma não Hodgkin desenvolvido pelo reclamante, um tipo de câncer que atinge os glóbulos brancos.

    Hardeman processou a empresa em US$ 19 milhões, compensação que acreditava ser justa para cobrir contas hospitalares, dor e sofrimento associados à doença. Ele agora está em remissão.

    "Estamos desapontados com a decisão do júri, mas este veredicto não altera o peso de mais de quatro décadas de ciência extensiva e as conclusões de reguladores em todo o mundo que apoiam a segurança de nossos herbicidas à base de glifosato e que eles não são cancerígenos", disse por nota a farmacêutica alemã Bayer, que adquiriu a Monsanto no ano passado. A empresa diz que vai recorrer da decisão.

    Múltiplas agências nacionais e internacionais — incluindo a própria Organização Mundial da Saúde — identificaram que o princípio ativo do Roundup, o glifosato, pode desencadear câncer em humanos.

    "Nem um funcionário da Monsanto, do passado ou do presente, veio a julgamento para defender a segurança do Roundup ou as ações da Monsanto", disseram os advogados de Hardeman, Aimee Wagstaff e Jennifer Moore, em comunicado à AP.

    O jornal San Francisco Bay Chronicle observou que o caso de Hardeman é um dos três julgamentos que estabelecerão diretrizes para a resolução de 760 outros casos contra a Monsanto em todo o país, transferidos para a corte do Juiz Distrital Vince Chhabria em San Francisco. Há outros 10.000 casos pendentes em outros pontos do país.

    No ano passado, um júri diferente concedeu a um homem US$ 289 milhões como reparação por câncer causado pelo Roundup, a primeira decisão desse tipo já proferida. Mais tarde, o juiz do caso reduziu a cifra para US$ 89 milhões.

    Tags:
    San Francisco, Edwin Hardeman, Aimee Wagstaff, Jennifer Moore, Vince Chhabria, Monsanto, Associated Press, San Francisco Bay Chronicle, Organização Mundial da Saúde, Bayer, Roundup, agrotóxico
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar