07:31 25 Abril 2019
Ouvir Rádio
    Jair Bolsonaro e Sebastián Piñera

    Bolsonaro e Piñera descartam intervenção militar na Venezuela

    Marcos Corrêa/PR
    Américas
    URL curta
    1632

    Os presidentes do Brasil, Jair Bolsonaro, e do Chile, Sebastián Piñera, defenderam neste sábado um acordo pacífico para encerrar a crise na Venezuela, informou Agência Brasil.

    Os presidentes negaram a possibilidade de uma intervenção militar na Venezuela. Os dois apelaram para a realização de eleições no país sul-americano e cobraram respeito aos direitos humanos.    

    "[Reiteramos] o firme compromisso de continuar trabalhando, no âmbito do Grupo de Lima, pela busca de uma saída democrática e pacífica para a crise venezuelana, rejeitando energicamente qualquer ação que implique o uso da violência, sobretudo a opção de intervenção militar", afirma a declaração conjunta dos dois chefes de Estado.

    Brasil, Chile, Estados Unidos e cerca de 50 nações apoiam Juan Guaidó, autoproclamado presidente da Venezuela. Guaidó viajou pela América do Sul e foi recebido por Bolsonaro e outros presidentes da região.

    "[Reafirmamos] o compromisso de contribuir para restaurar a democracia na Venezuela, que requer a realização de eleições presidenciais livres e justas, conforme os padrões internacionais e sob observação internacional independente; a liberação de todos os presos políticos; e o fim da sistemática violação dos direitos humanos naquele país", acrescentou o documento publicado após a reunião de Bolsonaro e Piñera.

    Os presidentes cobraram de Maduro a autorização do envio de ajuda humanitária para a Venezuela. “[Insistimos] igualmente, na importância que o regime de Nicolás Maduro autorize a abertura de canal de ajuda humanitária que possa atenuar a grave escassez de remédios e alimentos naquele país".

    Mais:

    Bolsonaro vai visitar EUA, Chile e Israel nas próximas semanas, revela ministro
    Maduro propõe criar 'brigadas de defensores da paz' na Venezuela
    Venezuela repudia sanções dos EUA contra Bandes e 4 importantes bancos do país
    Trump cogita 'uso da força' e Rússia e China não devem interferir na Venezuela, diz Bolton
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar