06:48 25 Abril 2019
Ouvir Rádio
    Presidente da Nicarágua Daniel Ortega

    Governo da Nicarágua e oposição discutem liberação de presos políticos

    © AP Photo / Alfredo Zuniga
    Américas
    URL curta
    2 0 0

    O governo e a oposição da Nicarágua começaram a negociar quinta-feira (21) como realizar a libertação de centenas de presos políticos detidos no último ano de instabilidade e protestos.

    O governo do presidente Daniel Ortega anunciou na quarta-feira que libertaria os prisioneiros em 90 dias em troca do levantamento das sanções externas.

    A liberdade dos prisioneiros é o primeiro de cinco itens que os negociadores planejam enfrentar depois de várias semanas de reuniões para estabelecer regras básicas para as negociações para a resolução das divisões políticas da Nicarágua.

    O Comitê para a Libertação de Presos Políticos, que calcula a existência de cerca de 640 prisioneiros, disse em comunicado que os prisioneiros deveriam ser libertados em 15 dias e que as negociações não devem começar até que todos sejam soltos.

    Os dois lados concordaram em pedir à Cruz Vermelha Internacional que monitore a libertação dos prisioneiros, mas nem o governo nem a Aliança Cívica da oposição colocaram números sobre quantos prisioneiros seriam libertados.

    O representante da Organização dos Estados Americanos, Luis Rosadilla, e o embaixador do Vaticano na Nicarágua, Waldemar Sommertag, têm observado as conversações.

    Na quinta-feira, Ortega disse a uma multidão que "nem todos pensamos da mesma forma, mas apesar de nossas diferenças ideológicas e políticas, devemos nos unir em torno de um objetivo sagrado, que é a paz".

    Também na quinta-feira, o Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas adotou uma resolução imposta pela Argentina condenando os abusos dos direitos humanos na Nicarágua e pedindo o monitoramento do Escritório do Alto Comissariado para os Direitos Humanos.

    A Comissão Interamericana de Direitos Humanos também incluiu a Nicarágua pela primeira vez em um quarto de século entre os países que exigem monitoramento especial devido à deterioração da situação dos direitos humanos e contabilizou pelo menos 325 mortos e 2.000 feridos.

    Mais:

    Moscou: declarações dos EUA sobre Maduro significam que Cuba e Nicarágua virão a seguir
    Pompeo: EUA seguirão ajudando Cuba e Nicarágua no caminho para a democracia
    Dias de Ortega estão 'contados' e a Nicarágua estará livre 'em breve', diz Bolton
    Futuro chanceler de Bolsonaro manda desconvidar presidente da Nicarágua para posse
    Presidente da Nicarágua chama ações de EUA e UE de 'crime de guerra'
    Governo da Nicarágua se compromete a libertar 'presos políticos'
    Tags:
    Organização dos Estados Americanos (OEA), Daniel Ortega, Nicarágua
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar