19:13 19 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Sede del Banco Interamericano de Desarrollo

    Brasil e Argentina confirmam apoio a candidato de Guaidó para posto no BID

    CC0 / Daniel Lobo / IADB
    Américas
    URL curta
    623
    Nos siga no

    O Brasil e a Argentina apoiam o candidato indicado pelo líder da oposição venezuelana, Juan Guaidó, para representar o país no Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), disseram autoridades de ambos os governos nesta terça-feira.

    Guaidó assumiu a presidência interina em janeiro, depois de declarar a reeleição do presidente Nicolás Maduro em 2018 como uma fraude. Ele indicou o economista Ricardo Hausmann para representar a Venezuela no BID.

    Um porta-voz do Ministério da Economia da Argentina confirmou à Agência Reuters que apoiaria Hausmann em uma votação prevista para o final da semana. Em Brasília, um porta-voz do Ministério de Relações Exteriores disse que o Brasil apoiava o candidato de Guaidó.

    A maioria dos países do conselho da JID deve apoiar Hausmann, exceto aqueles que não reconheceram Guaidó, a saber, México, Uruguai, Nicarágua, Bolívia e China, de acordo com um funcionário do banco que pediu para não ser identificado.

    A eleição de Hausmann para o conselho do BID seria o primeiro exemplo do governo de oposição da Venezuela colocando seu próprio homem em uma importante instituição internacional.

    Hausmann é um ex-ministro do planejamento venezuelano que atuou como economista-chefe do BID entre 1994 e 2000. Ele ensina desenvolvimento econômico na Kennedy School of Government de Harvard.

    O reconhecimento de Hausmann aumenta a pressão diplomática enfrentada por Maduro para renunciar após meses de agitação política. Os Estados Unidos disseram na última segunda-feira que retirarão todo o pessoal diplomático remanescente da Venezuela nesta semana.

    A Venezuela também está enfrentando um apagão de eletricidade que durou o dia inteiro, o que prejudicou as exportações de petróleo do membro da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) e deixou milhões de cidadãos lutando para encontrar comida e água.

    Mais:

    Haddad: 'Trump e Bolsonaro querem invadir a Venezuela pelo petróleo'
    MP da Venezuela abre investigação contra Guaidó por sabotagem do sistema elétrico
    Entenda como Venezuela pode recuperar economia em 2 ou 3 meses
    Tags:
    crise na venezuela, banco, diplomacia, OPEP, BID, Nicolás Maduro, Juan Guaidó, Ricardo Hausmann, Argentina, Brasil, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar