21:40 17 Junho 2019
Ouvir Rádio
    Venezuela's President Nicolas Maduro speaks during a meeting with businessmen in Caracas, Venezuela January 9, 2017

    Venezuela inicia batalha judicial para proteger propriedade no exterior

    © REUTERS / Miraflores Palace
    Américas
    URL curta
    28304

    O vice-presidente venezuelano Delcy Rodriguez disse que seu país deu os primeiros passos para abrir um processo legal para proteger sua propriedade e também seus ativos no exterior.

    A medida vem após sanções dos EUA contra a petroleira estatal venezuelana PDVSA e também à decisão do Reino Unido de bloquear o acesso do governo às reservas de ouro que estão em Londres.

    Os EUA já bloquearam US$ 7 bilhões em ativos da PDVSA e impuseram uma proibição de acordos com a petrolífera. Já o Reino Unido cortou acesso venezuelano a ativos estrangeiros e também negou solicitação de retirada de US$ 1,2 bilhão em ouro. Tanto os EUA quanto o Reino Unido apoiam o autoproclamado presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó.

    "Quanto à Europa, onde os ativos venezuelanos foram congelados, já iniciamos atividades legais concretas. Contratamos advogados que protegerão nossos interesses — especialmente aqueles relacionados ao ouro que o Banco da Inglaterra roubou", disse Rodriguez em entrevista à RT.

    A Venezuela vive uma crise política que tem se intensificado. Em 5 de janeiro, Guaidó foi eleito líder da Assembleia Nacional, controlada pela oposição. A entidade não é reconhecida por nenhuma área do governo desde 2016.

    Em 23 de janeiro, dois dias depois de o Supremo Tribunal venezuelano ter anulado sua eleição, Guaidó se autoproclamou o "presidente interino" do país.

    Nicolás Maduro, que foi empossado para seu segundo mandato presidencial em 10 de janeiro após vencer as eleições em maio de 2018, afirma que a decisão de Guaidó tem por trás uma tentativa de golpe orquestrado pelos Estados Unidos.

    Mais:

    Entenda como uma guerra na Venezuela impactaria o Brasil
    Lavrov condena ameaças dos EUA a governo legítimo da Venezuela
    Venezuela exige da Colômbia compromisso de não agressão para reabrir pontes na fronteira
    Chanceler do Brasil se diz pronto para discutir a situação na Venezuela com a Rússia
    Tags:
    crise na venezuela, Supremo Tribunal de Justiça da Venezuela, Nicolás Maduro, Juan Guaidó, Caracas, Washington, Europa, Reino Unido, EUA, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar