10:59 15 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Juan Guaidó, autoproclamado presidente da Venezuela, durante a entrevista à agência AFP em Caracas, em 8 de fevereiro de 2019

    Quem é a poderosa mulher que acompanha Guaidó em suas viagens na América do Sul?

    © AFP 2019/ YURI CORTEZ / AFP
    Américas
    URL curta
    Crise política na Venezuela se agrava (163)
    261325
    Nos siga no

    Quando Juan Guaidó deixou a Venezuela em 22 de fevereiro, ele começou sua viagem pelos países sul-americanos que em janeiro apoiaram sua autoproclamação como presidente interino, entre os quais a Colômbia, o Brasil e o Paraguai. Mas o deputado da oposição venezuelana não viaja sozinho.

    Juan Guaidó viaja com sua esposa, Fabiana Rosales, que o acompanhou em cada uma das visitas como se fosse uma viagem oficial de mandatário.

    Mas há uma mulher mais poderosa no itinerário de Guaidó. Trata-se de Kimberly Breier, subsecretária de Estado dos EUA para Assuntos do Hemisfério Ocidental desde 2018.

    Em sua conta no Twitter, Breir tem relatado seu acompanhamento ao opositor venezuelano no Brasil e no Paraguai, como sendo um apoio necessário. Mas quem é essa "mão poderosa" que leva Guaidó pela América do Sul?

    Um líder legitimo não condena à fome e não oprime o seu povo. Guaidó está trabalhando para entregar a ajuda humanitária tão necessária para o povo da Venezuela, enquanto Maduro está a bloqueando. Segundo declarou o vice-presidente Mike Pence, "Maduro deve sair" e esta ajuda humanitária "deve entrar"

    Hoje no Brasil eu expressei mais uma vez o apoio do secretário de Estado, Mike Pompeo, e dos EUA a Juan Guaidó enquanto ele está levando seu país para a democracia. O povo da Venezuela não merece menos.

    Kimberly Breier é graduada em espanhol e entre 1995 e 1997 completou um mestrado na Universidade George Washington, onde Juan Guaidó também fez sua pós-graduação. Essa universidade também é conhecida por sua formação de futuros funcionários da CIA.

    Conforme um comunicado da Casa Branca, Breier serviu por mais de uma década como analista da CIA e gerente na indústria de espionagem e foi consultora da Casa Branca em assuntos relacionados ao Brasil e ao Cone Sul.

    A diplomata, que fala espanhol e viajou bastante por todo o continente, foi convocada em 2005 pelo presidente George W. Bush para o Escritório de Assuntos Hemisféricos do Conselho de Segurança Nacional.

    Durante o governo de Barack Obama, ela liderou a Iniciativa Futuros México-Estados Unidos no Centro de Estudos Estratégicos Internacionais, em Washington DC, e segundo especialistas internacionais "é uma republicana moderada", escreve Infobae. No entanto, alguns especialistas supõem que o fato que essa mulher acompanha Juan Guaidó nos países da América Latina prova que os EUA estão prestando apoio ao autoproclamado presidente da Venezuela.

    A crise venezuelana se agravou ainda mais após o presidente da Assembleia Nacional, Juan Guaidó, ter se autoproclamado chefe de Estado interino no dia 23 de janeiro. Os EUA e outros países, incluindo mais de 20 países europeus, reconheceram Guaidó, enquanto a Rússia, China e outros países apoiam Maduro como presidente legítimo da Venezuela.

    Tema:
    Crise política na Venezuela se agrava (163)

    Mais:

    Presidente do Paraguai confirma reunião com Guaidó para esta sexta-feira
    Guaidó continua perdendo 'guerra' com Maduro mesmo após vinda ao Brasil, diz especialista
    Bolsonaro endossa Guaidó e venezuelano diz que voltará ao seu país 'apesar das ameaças'
    Mídia alemã afirma que 'revolta' de Guaidó na Venezuela fracassou
    Tags:
    diplomata, apoio, oposição, mulher, Juan Guaidó, Nicolás Maduro, América do Sul, Venezuela, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar