06:20 17 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Crime cibernético de hackers

    Mídia: Trump autorizou pessoalmente ciberataque contra Rússia

    Pixabay
    Américas
    URL curta
    7227

    O presidente dos EUA, Donald Trump, autorizou pessoalmente um ciberataque dos militares norte-americanos contra a Agência de Pesquisa pela Internet (IRA, na sigla em inglês), russa durante as eleições de meio de mandato de 2018, comunicou o canal NBC, citando fontes informadas.

    Segundo o canal, esse ataque cibernético se tornou o "passo mais agressivo da administração Trump na luta contra a intervenção russa nas eleições".

    Anteriormente, o jornal Washington Post havia informado que o Comando Cibernético das Forças Armadas dos EUA bloqueou o acesso da IRA à internet durante as eleições de meio de mandato do ano passado. Segundo as suas fontes, foi uma parte da primeira campanha cibernética ofensiva contra a Rússia, destinada a prevenir supostas "tentativas de intervir nas eleições norte-americanas".

    As fontes do canal comunicaram que o Comando Cibernético dos EUA realizou um ataque, utilizando os dados da inteligência da Agência de Segurança Nacional, deixando a a IRA sem internet. A interrupção começou quando os americanos foram às urnas e durou até ao apuramento dos votos, aproximadamente um dia depois.

    A Casa Branca se recusou a comentar oficialmente a informação do canal. O representante do Comando Cibernético dos EUA declarou que a entidade "continua trabalhando no âmbito do empenho governamental de defesa das eleições e instituições democráticas da influência estrangeira negativa".

    Após as eleições presidenciais de 2016 os EUA acusaram a Rússia de intervir no pleito. Moscou desmentiu repetidamente essas acusações. O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, assinalou que não houve nenhuns fatos ou provas de qualquer alegada influência.

    Mais:

    EUA não permitirão domínio da Rússia e China no Ártico
    Rússia diz que EUA preparam provocações na fronteira da Venezuela
    Putin espera que divergências entre Rússia e EUA não gerem nova 'Crise dos Mísseis'
    Tags:
    eleições 2016, acusações, intervenção, ciberataque, Internet, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar