16:17 22 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Militantes da oposição durante manifestação contra o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, em Caracas, Venezuela

    EUA retiram parte de seus diplomatas da Venezuela

    © REUTERS / Carlos Garcia Rawlins
    Américas
    URL curta
    Crise política na Venezuela se agrava (163)
    880
    Nos siga no

    Todos os funcionários do governo dos EUA de serviços não emergenciais receberam ordens para deixar a Venezuela, informou o Departamento de Estado dos EUA em um alerta de segurança nesta quinta-feira (24).

    O Departamento de Estado também recomenda que outros cidadãos dos EUA que vivem na Venezuela "considerem fortemente" deixar o país.

    Os EUA divulgaram nesta quinta-feira um alerta de viagem atualizado pedindo que os americanos reconsiderem as viagens à Venezuela devido a distúrbios civis, prisões arbitrárias e detenções de cidadãos norte-americanos, entre outras razões. A advertência fala especificamente que os cidadãos dos EUA devem agir com cautela na capital da Venezuela, Caracas.

    O Observatório Venezuelano de Conflito Social disse que o número de mortos em protestos violentos no país nos últimos dias subiu para 26.

    O presidente da Assembléia Nacional, Juan Guaidó, declarou-se o presidente interino do país na quarta-feira. Os Estados Unidos pediram ao presidente Nicoláas Maduro que renuncie e deixe Guaidó assumir a presidência, mas Maduro disse que Washington tenta realizar um golpe de estado na Venezuela e anunciou sua decisão de cortar os laços diplomáticos com os Estados Unidos.

    Tema:
    Crise política na Venezuela se agrava (163)

    Mais:

    Chanceler da Venezuela descarta guerra na América Latina (EXCLUSIVO)
    'Ele foi forçado': houve pressão externa sobre Guaidó na Venezuela, diz embaixador russo
    Maduro decide fechar embaixada e consulados da Venezuela nos EUA
    EUA oferecem US$ 20 milhões em ajuda humanitária à Venezuela
    Embaixada da Venezuela em Washington suspende serviços consulares
    Tags:
    Departamento de Estado dos EUA, Juan Guaidó, Nicolás Maduro, Estados Unidos, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar