05:16 16 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Presidente da Venezuela durante a manifestação de encerramento da campanha por nova constituinte em Caracas

    Embaixada da Venezuela em Washington suspende serviços consulares

    Presidência da Venezuela
    Américas
    URL curta
    Crise política na Venezuela se agrava (163)
    8130

    O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, cortou relações diplomáticas com os Estados Unidos nesta quarta-feira, acusando Washington de tentar provocar um golpe de Estado em Caracas. Os EUA, por sua vez, exigiram a renúncia de Maduro e declararam apoio ao líder da oposição, Juan Guaidó.

    A embaixada venezuelana nos Estados Unidos suspendeu os serviços consulares devido à ruptura das relações diplomáticas entre os países.

    Os Estados Unidos têm apoiado as forças da oposição na Venezuela, consideram a eleição presidencial, realizada no ano passado, como ilegítima, e prometeram seu apoio ao líder da oposição, Juan Guaidó.

    Nesta quarta-feira, dia 23 de janeiro, Washington foi um dos primeiros a reconhecer Juan Guaidó como presidente interino da Venezuela. Alguns países seguiram seu exemplo, tais como: Canadá, Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, Geórgia, Guatemala, Honduras, Panamá, Paraguai e Peru.

    O presidente do Parlamento Europeu, Antonio Tajani, o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, e a chefe de política externa da UE, Federica Mogherini, também manifestaram seu apoio à presidência do líder da oposição.

    Maduro disse na quarta-feira que Washington tentou realizar um golpe de Estado na Venezuela e anunciou sua decisão de cortar relações diplomáticas com os Estados Unidos.

    Tema:
    Crise política na Venezuela se agrava (163)

    Mais:

    EUA oferecem US$ 20 milhões em ajuda humanitária à Venezuela
    Ministro da defesa da Venezuela diz que há um golpe 'contra as instituições e democracia'
    'Imagine se fosse nos EUA': Medvedev critica apoio da Casa Branca a Guaidó na Venezuela
    Embaixador da Venezuela na Rússia diz que país não terá novas eleições: 'são irrelevantes'
    'Abraço de anaconda' dos EUA: analistas avaliam o que está por trás da crise na Venezuela
    EUA reconhecem Guaidó: 'plano de intervenção' da Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar