01:10 22 Abril 2019
Ouvir Rádio
    Situação na Venezuela após a tentativa de uma rebelião, 21 de janeiro de 2019

    Ministério da Defesa da Venezuela: militares rebeldes foram 'rendidos e capturados'

    © AFP 2019 / Yuri Cortez
    Américas
    URL curta
    Crise política na Venezuela se agrava (163)
    19438

    Os militares rebeldes em Caracas foram "rendidos e capturados", e suas armas foram apreendidas, informou o Ministério da Defesa da Venezuela.

    "Os delinquentes foram rendidos e capturados na sede da unidade especial de segurança de Waraira Repano, em Cotiza, município Libertador, também ligada à Guarda Nacional Bolivariana, para onde se dirigiram, encontrando firme resistência dos oficiais e tropas professionais ali instalados", lê-se no comunicado.

    O ministro da Defesa do país, Vladimir Padrino López, afirmou que será aplicado todo o peso da lei contra os militares rebeldes que tentaram controlar um comando em Caracas.

    "Quem insulta suas armas com vícios infames será castigado com todo o peso da lei", escreveu López no Twitter.Além disso, o exército da Venezuela declarou que deteve integrantes da Guarda Nacional que roubaram armas e sequestraram oficiais.

    O Ministério da Defesa bolivariano sublinhou que todas as suas instalações estão funcionando normalmente depois da tentativa fracassada de uma rebelião realizada por um grupo de militares movidos por "interesses obscuros da extrema direita".

    Na madrugada de 21 de janeiro, nas redes sociais surgiu informação de que militares venezuelanos teriam tomado nesta segunda-feira o controle do comando militar da Guarda Nacional – que faz parte do exército – no oeste de Caracas, especificamente o setor de Cotiza. Nos vídeos publicados nas redes sociais, militares dizem que atuam "pela Venezuela", e afirmam que totalizam cerca de 120 pessoas.

    Tema:
    Crise política na Venezuela se agrava (163)
    Tags:
    rebeldes, Guarda Nacional Bolivariana, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar