20:58 14 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Cesare Battisti chega a Roma

    Battisti chega a Roma para cumprir pena após 37 anos foragido (VÍDEO)

    © REUTERS / Max Rossi
    Américas
    URL curta
    17117
    Nos siga no

    Battisti chega a Roma para cumprir pena, após ser condenado por homicídio há mais de três décadas.

    O fugitivo italiano, de 64 anos de idade, integrou o grupo Proletários Armados pelo Comunismo e foi condenado à prisão perpétua em 1993 por cometer quatro homicídios nos anos 70, entretanto, esteve foragido por 37 anos.

    Cesare Battisti se refugiou no Brasil, mas posteriormente teve sua extradição autorizada. Entretanto, ele fugiu para a Bolívia, onde foi preso no último sábado (12) por agentes da Interpol. Além do Brasil, ele também viveu no México, França e Bolívia.

    A detenção ocorreu na cidade de Santa Cruz de La Sierra, a maior cidade da Bolívia. A prisão ocorreu graças à ação dos agentes de inteligência, que utilizaram um dos dispositivos móveis do fugitivo. Após sua captura, a Itália enviou um avião militar para transportar Battisti de volta à Itália pela primeira vez desde 1981.

    A aeronave com o italiano Cesare Battisti chegou ao aeroporto de Ciampino, em Roma, na Itália, nesta segunda-feira (14) às 08h40, no horário de Brasília. Durante o desembarque, ele não estava usando algemas e era escoltado por policiais, além de atiradores de elite que também estavam vigiando o local.

    No aeroporto, Battisti se mostrou tranquilo e foi recebido pelo ministro do Interior da Itália, Matteo Salvini, que ordenou sua transferência imediata para a principal penitenciária da capital italiana, Rebibbia.

    Mais:

    Battisti deixa Bolívia e segue para Itália, onde cumprirá pena
    Foragido, italiano Cesare Battisti é preso pela Interpol na Bolívia
    Bolsonaro diz que Battisti está 'com algum companheiro ou fora do Brasil'
    Tags:
    condenado, prisão perpétua, transporte, prisão, Cesare Battisti, Bolívia, Itália
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar