15:37 12 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Police officers respond after a gunman opened fire at the Tree of Life synagogue in Pittsburgh Pennsylvania.

    Suspeito de massacre em sinagoga dos EUA é indiciado por 29 crimes

    © REUTERS / John Altdorfer
    Américas
    URL curta
    402

    O suposto atirador responsável por um ataque mortal contra uma sinagoga na cidade de Pittsburgh, nos Estados Unidos, foi indiciado com 29 acusações criminais, informou a Procuradoria do Distrito Oeste da Pensilvânia.

    "No sábado, 27 de outubro de 2018, às 20h05 (horário de Brasília), o juiz Robert C. Mitchell assinou uma ação criminal contra Robert Bowers, de Baldwin, na Pensilvânia, com 29 acusações de crimes federais de violência e ofensas por armas de fogo", disse o procurador do distrito oeste da Pensilvânia, Scott W. Brady, segundo mensagem lida pelo agente especial do FBI, Robert Allan Jones.

    "Os crimes de violência são baseados nas leis federais de direitos civis que proíbem crimes de ódio. O FBI em Pittsburgh está liderando a investigação", acrescentou.

    Um atirador abriu fogo no sábado dentro de uma sinagoga em Pittsburgh, matando 11 pessoas e ferindo outras 6, incluindo policiais, segundo as autoridades norte-americanas.

    O oficial do FBI Robert Allan Jones disse que o suspeito estava armado com o que parecia ser um rifle de assalto e pelo menos 3 pistolas. A polícia confirmou que o suspeito havia sido detido.

    O presidente dos EUA, Donald Trump, prometeu viajar para Pittsburgh devido ao incidente, mas não especificou a data de sua visita.

    Mais:

    Tiroteio em sinagoga nos EUA resulta em vários mortos (VÍDEO, FOTO)
    Trump após ataque a sinagoga em Pittsburgh: 'EUA devem endurecer pena de morte'
    Tags:
    crimes de ódio, antissemitismo, violência, massacre, judeus, sinagoga, FBI, Robert Allan Jones, Scott W. Brady, Robert Bowers, Donald Trump, Pensilvânia, Pittsburgh, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik