01:01 17 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Josep Borrell, ministro espanhol das Relações Exteriores

    Solução para a Venezuela 'não pode passar por intervenção militar'

    © AFP 2018 / Oscar Del Pozo
    Américas
    URL curta
    562

    O ministro espanhol das Relações Exteriores, Josep Borrell, declarou que Madrid rejeita qualquer posição que inclua uma possível intervenção militar na Venezuela.

    "Não pode ser uma solução que passe por uma intervenção militar", disse Borrell em declarações à mídia, à chegada ao Luxemburgo, onde participará do Conselho de Ministros das Relações Exteriores da União Europeia.

    No conselho, os países da UE manterão um "debate de orientação" sobre a situação política na Venezuela.

    Borrell lamentou de que nos últimos dias tenham aumentado "muitas vozes ou meias vozes falando de intervenção militar" na Venezuela.

    "Nós cremos que a solução deve ser alcançada mediante um acordo entre os venezuelanos num processo democrático", insistiu o chanceler espanhol, que aproveitou a ocasião para voltar a oferecer a ajuda da União Europeia como um agente "facilitador" desse diálogo.

    Apesar dessa oferta, Borrell afirmou que o papel de "facilitador" não consistiria em um trabalho de "mediação" e sublinhou que o início do processo de diálogo não implicaria o levantamento das sanções.

    "Ninguém falou sobre a alteração das sanções", acrescentou o ministro espanhol.

    Está previsto que durante a reunião, além do tema da Venezuela, os países-membros da União Europeia discutam outros assuntos, tais como a Líbia e a questão da imigração.

    Mais:

    Análise: 'Vitória de Bolsonaro abriria campo muito fértil para uma agressão à Venezuela'
    Moscou pode instalar base militar na Venezuela para protegê-la do risco de intervenção?
    Rússia se diz pronta para apoiar desenvolvimento da Venezuela, afirma Lavrov
    EUA irão destinar 48 milhões de dólares em ajuda humanitária para Venezuela
    Venezuela busca estreitar cooperação comercial com Síria
    Tags:
    diálogo, intervenção militar, sanções, Ministério das Relações Exteriores, União Europeia, Venezuela, Espanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik