13:23 27 Maio 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    415
    Nos siga no

    O presidente dos EUA, Donald Trump, recebeu um relatório sobre os pontos fracos do complexo militar estadunidense e seu estado em geral, comunicou a porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders.

    Nesta sexta-feira (5), o relatório, encomendado pela própria presidência mais cedo, foi apesentado pelo primeiro vice-secretário da Defesa, Patrick M. Shanahan.

    Enquanto isso, Sanders considerou o documento de "histórico", frisando que "desde a época de Eisenhower" o atual líder Donald Trump é o primeiro presidente a estar diretamente envolvido na manutenção do bom estado e estabilidade do setor militar-industrial.

    "Sob liderança do presidente, os secretários da Defesa, do Comércio, da Energia e do Trabalho estão cumprindo as recomendações do relatório com o objetivo de eliminar as cerca de 300 fragilidades encontradas", diz o comentário de Sanders, citado pela edição The Washington Post.

    De acordo com a porta-voz, hoje em dia a administração de Trump está conduzindo uma política de recuperação das Forças Armadas através do aumento das despesas militares e da modernização e revitalização da produção norte-americana.

    Mais cedo, um alto responsável oficial da administração estadunidense contou aos jornalistas que a equipe tinha definido uma série de "fragilidades significativas" da indústria militar e considera necessário recuperá-la.

    Entre os principais problemas, se pode enumerar os cinco principais: o sequestro do orçamento militar e a incerteza geral sobre as despesas públicas, a redução do potencial produtivo, a concorrência "assimétrica" de vários países no comércio, as falhas no sistema gigantesco de contratos do Pentágono e, enfim, a diminuição da qualificação dos funcionários.

    Aliás, a administração também está preocupada com a vulnerabilidade de certos fornecedores que produzem equipamentos únicos e estreitamente especializados para o setor militar dos EUA.

    Mais:

    Mídia adverte sobre nova 'arma cibernética russa' impossível de ser combatida
    Forças Armadas dos EUA poderiam enfrentar Rússia e China ao mesmo tempo?
    EUA podem vir a realizar operação naval de força perto da China?
    Tags:
    relatório, Pentágono, Sarah Sanders, Donald Trump, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar