14:54 19 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Presidente dos EUA, Donald Trump, discursa durante uma sessão da Assembleia Geral, em Nova York, em 26 de setembro de 2018

    'Histórico' relatório sobre quase 300 fragilidades militares dos EUA é apresentado a Trump

    © AP Photo/ Evan Vucci
    Américas
    URL curta
    415

    O presidente dos EUA, Donald Trump, recebeu um relatório sobre os pontos fracos do complexo militar estadunidense e seu estado em geral, comunicou a porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders.

    Nesta sexta-feira (5), o relatório, encomendado pela própria presidência mais cedo, foi apesentado pelo primeiro vice-secretário da Defesa, Patrick M. Shanahan.

    Enquanto isso, Sanders considerou o documento de "histórico", frisando que "desde a época de Eisenhower" o atual líder Donald Trump é o primeiro presidente a estar diretamente envolvido na manutenção do bom estado e estabilidade do setor militar-industrial.

    "Sob liderança do presidente, os secretários da Defesa, do Comércio, da Energia e do Trabalho estão cumprindo as recomendações do relatório com o objetivo de eliminar as cerca de 300 fragilidades encontradas", diz o comentário de Sanders, citado pela edição The Washington Post.

    De acordo com a porta-voz, hoje em dia a administração de Trump está conduzindo uma política de recuperação das Forças Armadas através do aumento das despesas militares e da modernização e revitalização da produção norte-americana.

    Mais cedo, um alto responsável oficial da administração estadunidense contou aos jornalistas que a equipe tinha definido uma série de "fragilidades significativas" da indústria militar e considera necessário recuperá-la.

    Entre os principais problemas, se pode enumerar os cinco principais: o sequestro do orçamento militar e a incerteza geral sobre as despesas públicas, a redução do potencial produtivo, a concorrência "assimétrica" de vários países no comércio, as falhas no sistema gigantesco de contratos do Pentágono e, enfim, a diminuição da qualificação dos funcionários.

    Aliás, a administração também está preocupada com a vulnerabilidade de certos fornecedores que produzem equipamentos únicos e estreitamente especializados para o setor militar dos EUA.

    Mais:

    Mídia adverte sobre nova 'arma cibernética russa' impossível de ser combatida
    Forças Armadas dos EUA poderiam enfrentar Rússia e China ao mesmo tempo?
    EUA podem vir a realizar operação naval de força perto da China?
    Tags:
    relatório, Pentágono, Sarah Sanders, Donald Trump, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik