18:57 18 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Militares norte-americanos ouvem um discurso do então presidente dos EUA, George W. Bush, em Fort Polk, Louisiana, em 17 de fevereiro de 2004

    Soldado americano é condenado a 11 anos de prisão por uso de arma química

    © AFP 2018/ TIM SLOAN
    Américas
    URL curta
    443

    Um militar das Forças Armadas dos Estados Unidos que construiu e detonou uma bomba de gás cloro em uma zona perto de sua base foi condenado ontem a mais de 11 anos de prisão, segundo informou o Departamento de Justiça norte-americano.

    "Ryan Keith Taylor, 24, de New Llano, Louisiana, soldado em Fort Polk, foi sentenciado hoje a 135 meses de prisão, a serem seguidos por cinco anos de libertação supervisionada, por fabricar, portar e detonar uma arma química na Floresta Nacional de Kisatchie, adjacente à instalação do Exército de Fort Polk, em Louisiana", destacou a justiça americana através de um comunicado. 

    O texto da nota não faz referência aos possíveis motivos do soldado, apenas detalhando o incidente criminoso, ocorrido em 12 de abril de 2017, que levou à aposentadoria de outros dois militares que teriam adoecido após inalar o gás liberado pela explosão.  

    A responsabilidade de Taylor, que chegou a filmar o momento da explosão com o seu celular, pelo crime foi confirmada durante buscas realizadas em seu veículo, seu apartamento e em um depósito pertencente a ele, onde os investigadores encontraram anotações sobre a fabricação de bombas, materiais necessários para a produção do artefato e também resíduos químicos da substância utilizada. 

    Mais:

    EUA: Daesh usou armas químicas rudimentares em ataques terroristas
    Terroristas entregam barris de cloro em Idlib para ataques com armas químicas
    Ministério de Defesa da Rússia: terroristas preparam uso de armas químicas reais em Idlib
    Frente al-Nusra tem condições de produzir gás de cloro na Síria
    Análise da OPAQ encontra vestígios de cloro no ataque a Douma de abril
    Tags:
    bomba, cloro, armas químicas, explosão, Exército dos EUA, Ryan Keith Taylor, Fort Polk, Louisiana, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik