15:23 18 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Manifestante de extrema direita em Charlottesville

    Congressista: FBI liga tumultos em Charlottesville à suposta interferência russa

    © AP Photo / Steve Helber
    Américas
    URL curta
    9010

    O FBI acredita que uma suposta interferência russa tenha desempenhado papel nos acontecimentos violentos na cidade de Charlottesville, ocorridos há um ano, disse o congressista republicano Thomas Garrett.

    "Eu assisti a uma reunião fechada em Charlottesville cerca de dois meses atrás, com o diretor do FBI (Christopher Wray), entre outros, e perguntei a ele se a intromissão russa teria algo a ver com o reascender das discussões sobre o que aconteceu em Charlottesville, e ele disse que sim", revelou o parlamentar à CNN.

    Grupos de extrema direita, incluindo supremacistas brancos, se reuniram nos dias 11 e 12 de agosto de 2017 em Charlottesville para desafiar a remoção de uma estátua do general confederado Robert E. Lee, que liderou as tropas do Sul na Guerra Civil Americana.

    A mobilização resultou em confrontos com manifestantes anti-fascistas e culminou com o ataque de um carro contra manifestantes que se opunham aos extremistas de direita. Uma mulher mulher morreu durante o incidente e vinte pessoas ficaram feridas.

    O número total de feridos nos confrontos chegou a 34.

    O presidente Donald Trump foi duramente criticado pela indiferença com a qual inicialmente reagiu à manifestação da extrema direita em Charlottesville.

    Embora ele finalmente tenha emitido uma declaração condenando esses setores, no dia seguinte ele se retratou e culpou os dois lados.

    Dias depois dos eventos violentos, a representante do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, refutou os relatos da mídia e das redes sociais dos EUA sobre uma suposta relação entre Moscou e os líderes da extrema direita envolvidos nos distúrbios, afirmando que essas publicações são parte de retórica anti-russa no país norte-americano.

    Mais:

    EUA: ameaça de tiroteio em massa fecha escolas em Charlottesville
    Ativistas marcham de Charlottesville a Washington em protesto contra o racismo
    Charlottesville: 'O presidente fala por si mesmo', diz Tillerson sobre Trump
    Maioria dos americanos reprova a reação de Trump aos acontecimentos em Charlottesville
    Trump diz que 'os dois lados' têm culpa pela violência em Charlottesville
    Ódio nos EUA: Atropelador de Charlottesville era admirador de Hitler (VÍDEO)
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik