20:43 12 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Polícia norte-americana em cena de crime, em Orlando, Flórida, em 12 de junho de 2016 (imagem referencial)

    Policiais matam refém de criminoso em Los Angeles (VÍDEO EXPLÍCITO)

    © AFP 2018 / Mandel Ngan
    Américas
    URL curta
    9110

    Os oficiais efetuaram múltiplos disparos quando o suspeito colocou a faca contra a garganta de uma idosa que se encontrava na rua usando um andador.

    A polícia de Los Angeles (EUA) publicou as imagens gravadas pelas câmeras corporais dos agentes em 16 de junho, onde aparece matando acidentalmente uma refém para tentar neutralizar um homem armado com uma faca, relata Los Angeles Times.

    Os policiais atenderam à chamada de emergência logo depois de um homem ter provocado ferimentos em sua ex-parceira com arma branca, no distrito americano de Van Nuys. O agressor foi identificado como Guillermo Pérez, membro de uma gangue que tinha acabado de sair da prisão após condenação por violência doméstica.

    Eles localizaram Pérez em uma rua do bairro e ordenaram-lhe para que largasse a faca que carregava. Após sua recusa, dispararam com armas não letais contra o criminoso, o qual se protegeu usando uma cadeira de metal como escudo.

    Posteriormente, o homem se escondeu atrás de uma mulher que estava no local e pressionou a faca contra sua garganta com as mãos. Neste momento, a polícia realizou um total de 18 tiros, ferindo até a morte tanto o agressor quanto a refém.

    Uma investigação interna foi aberta para avaliar as ações dos agentes do incidente, explicou Michel Moore, chefe da polícia de Los Angeles (LAPD).

    Mais:

    Prisioneiro toma guarda penitenciário como refém na França
    Aranha enorme 'mantém refém' motorista em plena rodovia
    'Basta!': Sauditas dizem que Líbano virou 'refém' do Hezbollah por influência do Irã
    Refém é libertado na Avenida Brasil
    Tags:
    agressão, ferimento, homem armado, morte, policiais, faca, tiroteio, idosa, refém, Polícia dos EUA, EUA, Los Angeles
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik