19:12 17 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Poço de petróleo na Venezuela (foto de arquivo)

    Analista: China não teme conflito com EUA por causa da Venezuela

    © AP Photo / Fernando Llano
    Américas
    URL curta
    12392

    Os EUA reagirão agressivamente à assistência da China ao setor petrolífero venezuelano, opina o especialista russo Vladimir Sudarev do Departamento de História e Política da Universidade de Relações Internacionais de Moscou (MGIMO, sigla em russo).

    Há uma alegação de que os chineses iriam investir US$ 250 milhões (R$ 981,6 milhões) no aumento da produção de petróleo da Venezuela, segundo uma informação da Bloomberg citando Simon Zerpa, ministro venezuelano de Economia e Finanças, que mantém conversações com Pequim.

    Ele ressaltou que o governo chinês concedeu autorização para um crédito especial de US$ 5 bilhões (R$ 19,6 bilhões) para investimento direto na produção e um empréstimo do Banco de Desenvolvimento da China no valor de mais de US$ 250 milhões (R$ 981,6 milhões) para aumentar a produção de petróleo da estatal petrolífera venezuelana PDVSA.

    Surpreso com a notícia, Sudarev comentou que "nos últimos tempos a China se abstém de conceder créditos ao regime de Nicolás Maduro, porque a China é pragmática e racional".

    No entanto, segundo ele, as empresas chinesas se estabeleceram na bacia do rio Orinoco, onde estão concentradas as principais reservas de petróleo.

    "Eles têm investido lá por muito tempo e é claro que em certo sentido estão interessados em apoiar a falida empresa estatal venezuelana para que ela forneça regularmente petróleo para a China. É este é o interesse pragmático dela e não o de apoiar o regime de Nicolás Maduro", comentou o especialista.

    Segundo previsão de Sudarev, levará algum tempo para a empresa PDVSA se recuperar. Ela não poderá absorver imediatamente esses US$ 250 milhões de empréstimos chineses e iniciar a produção tal como fez há 10 anos. O especialista não descarta que talvez isso seja dinheiro perdido para a China, embora a China seja extremamente cautelosa e evite operações de alto risco.

    "A Venezuela é um dos países fornecedores de petróleo mais importantes para a China. Os investimentos diretos da China no valor de US$ 250 milhões na empresa estatal venezuelana trarão um impacto positivo para a estabilização da extração de petróleo na Venezuela e garantirão o fornecimento de petróleo à China", comentou o especialista chinês Liu Qian em entrevista à Sputnik China.

    Por sua vez, os Estados Unidos estão tentando isolar completamente a Venezuela na região, e no mundo em geral, fazendo esforços consideráveis para isso. A China discorda categoricamente do bloqueio à Venezuela. Motivo principal: o petróleo.

    "Os EUA reagem de forma muito sensível ao fato de a China estar conduzindo uma verdadeira expansão econômica na América Latina […] A China não tem medo desses conflitos, especialmente quando está no limiar de uma guerra comercial com os Estados Unidos. Aqui ela não tem nada a perder. Pelo contrário, essa é uma oportunidade de mostrar seu poderio, influência e confiança em suas capacidades", comentou Sudarev referindo-se à irritação dos EUA pelo apoio da China ao setor petrolífero da Venezuela.

    Espera-se que o empréstimo e outros três ou quatro acordos financeiros sejam oficialmente assinados entre China e Venezuela nas próximas semanas.

    Mais:

    Afinal, guerra comercial entre EUA e China será boa ou ruim para o Brasil?
    Rússia não acredita que uso da força pode resolver a crise na Venezuela
    Maduro: Venezuela é alvo de uma operação midiática
    Tags:
    investimento, crédito, petróleo, Nicolás Maduro, EUA, Venezuela, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik