02:03 16 Julho 2018
Ouvir Rádio
    O presidente dos EUA, Donald Trump, Donald Trump, usa um boné Make America Great Again em um comício no Arizona, quando ainda era candidato (arquivo)

    Bar em Chicago proíbe clientes de usar boné de campanha de Donald Trump

    © Wikimedia Commons / Gage Skidmore
    Américas
    URL curta
    201

    Um bar de Chicago proibiu seus clientes de usar os bonés "Make America Great Again" ("Tornar a América grande de novo", em tradução livre), popularizados durante as eleições de 2016 pelo presidente dos EUA, Donald Trump.

    O bar anunciou o banimento da peça em um post no Facebook no sábado. "Depois de muita consternação e consideração e para manter um ambiente elegante, o Replay Lincoln Park implementou um novo código estrito de vestimenta. Não a tatuagens no rosto, não a bonés específicos, por favor. Vamos mantê-lo elegante", postou o estabelecimento nas redes sociais.

    Abaixo da mensagem podem ser encontradas imagens de um homem com tatuagens no rosto e outro usando o boné de Trump. 

    "Eu estava apenas frustrado e eu meio que queria fazer uma declaração", disse o dono do bar, Mark Kwiatkowski à NBC 5. "Senti que tínhamos a oportunidade de dizer algo que poderia chamar a atenção para essa monstruosidade".

    Depois de alguns reveses online, o proprietário concordou em autorizar os portadores dos bonés em condições de "avaliação extrema", uma referência aos pedidos de Trump para submeter os imigrantes a entrevistas mais duras após um ataque terrorista em Nova York que matou 8 pessoas no final de outubro de 2017.

    "Acabei de pedir [ao Departamento de] Segurança Interna que reforce nosso programa de avaliação extrema. Ser politicamente correto é bom, mas não por isso!".

    "Eu acho que o que faremos é gentilmente pedir-lhes para remover [o cbonés], mas nós os deixaremos cientes [da não-aprovação à peça] e talvez tenhamos uma oportunidade para discutir tudo isso e rever as suas opiniões", disse Kwiatkowski. Mais tarde, o bar postou uma mensagem de apoio ao Red Hen, um restaurante em Virgínia que negou serviço à Secretária de Imprensa da Casa Branca, Sarah Huckabee Sanders, na última sexta-feira.

    A mudança é uma reminiscência de um caso legal recente na cidade de Nova York. A saga bizarra começou quando Greg Piatek, um apoiador de Trump, afirmou ter sido expulso de um bar por usar um boné de campanha e processou o estabelecimento. No entanto, o juiz de Manhattan, David Cohen não considerou o argumento de que o bar havia tomado uma atitude discriminatória, violando suas crenças espirituais.

    O juiz arquivou o caso depois que a advogada do bar West Village, Elizabeth Conway, alegou que "apoiar Trump não é uma religião".

    Tags:
    West Village, Casa Branca, NBC, Replay Lincoln Park, Greg Piatek, David Cohen, Elizabeth Conway, Sarah Huckabee Sanders, Donald Trump, Mark Kwiatkowski, Nova York, Chicago
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik