09:16 20 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    New York State Attorney General Eric Schneiderman

    Procurador-geral de Nova York renuncia ao cargo após acusações de abuso

    © Fotobank.ru/Getty Images / Andrew Burton
    Américas
    URL curta
    0 10

    Eric Schneiderman, procurador-geral do estado norte-americano de Nova York, anunciou a decisão de renunciar depois de ter sido acusado por um grupo de mulheres de abuso.

    Na segunda-feira, a revista The New Yorker publicou um artigo dizendo as histórias de quatro mulheres, que acusaram Schneiderman, conhecido por suas atividades destinadas a defender os direitos das mulheres, de "violência física não-consensual".

    De acordo com a publicação, todas as mulheres já estiveram em relação com Schneiderman. Logo após a publicação do artigo, Andrew Cuomo, o governador de Nova York, pediu ao procurador-geral que renunciasse.

    "Nas últimas horas, alegações sérias, que eu contesto fortemente, foram feitas contra mim. Embora essas alegações não estejam relacionadas à minha conduta profissional ou às operações do escritório, elas efetivamente me impedirão de liderar o trabalho do escritório neste momento crítico. Por isso, renuncio ao meu cargo, em vigor no final do dia 8 de maio de 2018 ", disse Schneiderman em comunicado divulgado na segunda-feira em seu site.

    Em fevereiro, o ex-procurador-geral entrou com uma ação civil contra a Weinstein Company e os produtores Harvey e Robert Weinstein por causa de múltiplas alegações de assédio sexual feitas por várias mulheres.

    Mais:

    Este papiro egípcio poderia conter referência à 1ª denúncia de abuso sexual da história
    ONU diz que recebeu 40 acusações de abuso sexual no último trimestre de 2017
    Suécia pretende tratar problema de abuso sexual infantil com detecção de pornô automática
    Ex-médico da seleção de ginástica dos EUA é condenado a até 175 anos por abuso sexual
    Abuso de videogames? Trump 'vende' aviões que não existem a país europeu
    Tags:
    Eric Schneiderman
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik