19:39 16 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Donald Trump durante um encontro com o emir sheikh Tamim bin Hamad al-Thani em 10 de abril de 2018 em Washington

    Política dos EUA se baseia em 'tweets esquizofrênicos', diz congressista norte-americano

    © REUTERS / Kevin Lamarque
    Américas
    URL curta
    15141

    Qualquer ação militar dos EUA contra a Síria e seu líder, Bashar Assad, irá piorar as coisas, enquanto a política de Washington tem sido baseada apenas em "tweets esquizofrênicos" do presidente Donald Trump, disse o congressista Adam Smith em um comunicado na sexta-feira (13).

    "Eu me oponho à ação militar contra Assad. Não está claro que a ação militar melhorará a situação do povo sírio", disse Smith. "Será insuficiente para remover Assad do poder e só piorará a situação".

    Na quarta-feira (11), o presidente Donald Trump alertou a Rússia para se preparar, porque mísseis iriam em direção a alvos na Síria em resposta a um suposto ataque de armas químicas conduzido pelas forças do governo sírio na Duma. A Rússia disse que vai proteger suas tropas abatendo mísseis e indo atrás das fontes dos mísseis. Autoridades russas refutaram o veracidade do ataque.

    Smith disse na declaração que o envolvimento contínuo dos EUA no conflito do Iraque forneceu uma lição sobre as limitações da capacidade militar de resolver unilateralmente grandes crises globais.

    "Neste ponto, precisamos de uma estratégia clara do presidente. O que não precisamos são tweets esquizofrênicos que deixam nossos aliados confusos […]. Os tweets erráticos do presidente que fazem referência à Síria deixaram nossos aliados e nossos adversários confusos sobre sua política", disse ele.

    Até agora, o foco da política dos EUA na Síria tem sido inteiramente no combate ao grupo terrorista Daesh, disse Smith, representante democrata no Comitê de Serviços Armados da Câmara dos Deputados.

    O governo sírio negou o uso de armas químicas dizendo que o incidente foi encenado pelo grupo terrorista Jaish al-Islam para fornecer pretexto para uma intervenção estrangeira.

    Mais:

    Destróier 'Winston Churchill' se junta à 6ª frota dos EUA próximo à Síria
    Ataque à Síria contraria interesses da França e a lei internacional, diz eurodeputado
    Grécia se recusa a participar de ataque à Síria
    Síria irá se defender em caso de agressão dos EUA
    Tags:
    Guerra da Síria, Daesh, Donald Trump, Adam Smith, Síria, Estados Unidos, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik