13:25 18 Julho 2018
Ouvir Rádio
    Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, com uma cópia da Constituição

    Maduro diz que não irá se submeter a elites racistas

    © REUTERS / Palácio de Miraflores
    Américas
    URL curta
    572

    O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, assegurou hoje que o seu governo não se submeterá às "elites racistas" da Espanha, da França e da Colômbia, países que fazem oposição aberta à atual administração venezuelana.

    "Sim, são uns racistas, têm uma visão discriminatória. Como este zambo mestiço não se submete às suas ordens e desígnios, então, dizem que Nicolás Maduro é uma ditadura, é um ditador. Este zambo jamais se submeterá às elites colonialistas e racistas de Paris, Madri e Bogotá", declarou ele durante cerimônia de comemoração dos 50 anos da morte do ativista norte-americano Martin Luther King, no palácio de Miraflores.

    Em janeiro, a Venezuela declarou "persona no grata" o embaixador espanhol em Caracas, Jesús Silva, e acusou o presidente do governo da Espanha, Mariano Rajoy, de interferência. 

    Nesta quarta-feira, Maduro rechaçou as recentes declarações do presidente francês, Emmanuel Macron, que afirmou não haver condições para serem realizadas eleições justas e livres na Venezuela. 

    No caso da Colômbia, as relações bilaterais têm estado tensas desde 2017, levando o presidente colombiano, Juan Manuel Santos, a qualificar a Venezuela como o seu maior pesadelo. 

    Mais:

    Policiais são suspeitos de envolvimento em incêndio que matou 68 em cadeia na Venezuela
    Refugiados da Venezuela no Brasil: vêm aí os voos da esperança
    Por 'repressão interna' Suíça anuncia sanções contra Venezuela
    Especialista da ONU: sanções contra Venezuela violam direitos humanos
    Tags:
    Jesús Silva, Martin Luther King, Mariano Rajoy, Juan Manuel Santos, Emmanuel Macron, Nicolás Maduro, França, Colômbia, Bogotá, Madri, Paris, Venezuela, Caracas
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik