04:33 21 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Ex-presidente dos EUA, Jimmy Carter, em Washington, 20 de outubro de 2015

    Ex-presidente dos EUA se opõe a possível impeachment de Trump

    © AP Photo / Molly Riley
    Américas
    URL curta
    111

    O ex-presidente dos Estados Unidos Jimmy Carter disse que não gostaria de ver Donald Trump, o líder norte-americano, ser julgado após revelações que ainda podem ser feitas pela investigação do advogado especial Robert Mueller sobre as supostas interferência nas eleições russas além da relações assessores de Trump e Moscou.

    "Minha preferência pessoal seria que ele não sofresse impeachment, mas que ele pudesse cumprir seu mandato, porque acho que ele quer fazer um bom trabalho. E estou disposto a ajudá-lo, se puder ajudá-lo, e dê a ele o benefício da dúvida", disse Carter no domingo (25), conforme citado pela CBS News.

    "Acho que ele vai cumprir um mandato completo, a menos que o investigador especial, o Sr. Mueller, traga acusações criminais contra ele", disse Carter, acrescentando que, se Trump tivesse violado as leis, Mueller deveria revelar isso.

    A investigação da suposta interferência da Rússia nas eleições dos EUA, bem como os supostos vínculos entre Trump e Rússia, que são negados pela Casa Branca e pelo Kremlin, é conduzida por Mueller, assim como pelo Congresso dos EUA.

    Mais:

    Fechada com os S-400 russos, Turquia ainda negocia compra dos Patriot dos EUA
    Manual em quadrinhos recém-publicado mostra derrota dos EUA em conflito com Rússia
    Batalha pelo espaço: como URSS ganhou 'guerras nas estrelas' aos EUA
    Tags:
    interferência russa, CBS News, Kremlin, Casa Branca, Congresso dos EUA, Robert Mueller, Jimmy Carter, Donald Trump, Rússia, EUA, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik