16:51 18 Julho 2018
Ouvir Rádio
    Pedro Pablo Kuczynski, presidente do Peru, decidiu renunciar após escândalo envolvendo possível compra de votos no Congresso

    Presidente peruano renuncia

    © REUTERS / Guadalupe Pardo
    Américas
    URL curta
    630

    O presidente do Peru, Pedro Pablo Kuczynski (PPK), anunciou a sua renúncia nesta quarta-feira, segundo informou a mídia local.

    De acordo com o jornal La República, o chefe de Estado peruano, que está no poder há um ano e sete meses, tomou a decisão após uma reunião do Conselho de Ministros, em meio à crise provocada por uma suposta compra de votos em troca de obras e cargos, com o objetivo de barrar um pedido de impeachment no Congresso.

    A expectativa é a de que PPK faça um pronunciamento oficial em breve.

    Na última terça-feira, 20, o partido Fuerza Popular divulgou vídeos mostrando aliados de Kuczynski tentando comprar votos de parlamentares para impedir a aprovação de um processo de impeachment contra o presidente, que seria alvo de uma nova moção de destituição nesta quinta-feira, três meses depois de ter escapado de um primeiro pedido de afastamento.

    Pedro Pablo Kuczynski foi acusado, assim como boa parte dos políticos de destaque do Peru, de receber propina da empreiteira brasileira Odebrecht em troca de favorecimentos em licitações para a assinatura de contratos no país. De acordo com Marcelo Odebrecht, ex-presidente da construtora, entre 2005 e 2014, cerca de 29 milhões de dólares teriam sido destinados às autoridades e políticos peruanos como parte desse esquema.

    Mais:

    Nem ajuda da família Fujimori deve salvar presidente do Peru do impeachment, diz analista
    STF nega pedido de ex-presidente do Peru para acessar delação da Odebrecht
    Tags:
    propina, corrupção, renúncia, Odebrecht, Fuerza Popular, Marcelo Odebrecht, Pedro Pablo Kuczynski, PPK, Brasil, Peru
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik