02:17 13 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    O S-400 Triumph, de fato, desfruta de um leque muito mais vasto de caraterísticas, sendo o único sistema deste tipo capaz de escolher trabalhar com 4 mísseis diferentes

    Pior pesadelo: militares americanos treinam para combater durante inverno russo

    © Sputnik / Aleksandr Galperin
    Américas
    URL curta
    131113
    Nos siga no

    Destacamentos do Corpo dos Fuzileiros Navais dos EUA estão se preparando para uma confrontação hipotética com a Rússia e a Coreia do Norte em condições climáticas extremas, comunica a mídia estadunidense.

    Ao longo do último ano, cerca de 600 fuzileiros navais passaram por treinamento especial na Noruega. Segundo frisa o portal Defence News, durante estas manobras os militares tentam prestar atenção a cada detalhe.

    Assim, eles aprendem a lidar com armas, equipamentos militares e meios de comunicação afetados pelo frio. Além disso, os militares estadunidenses descobrem como se devem vestir em tais condições, como aquecer a água e se alimentar para não ficar enregelado.

    Na última vez, há quase 70 anos, os fuzileiros norte-americanos combateram em condições climáticas severas na época da Guerra da Coreia. Naquele momento, os soldados não conseguiram se adaptar ao frio, o que levou à morte de cerca de 7 mil combatentes.

    Hoje em dia, o comando estadunidense teme a repetição da mesma situação, por isso um potencial conflito na Rússia ou na Coreia do Norte lhe parece um pesadelo do ponto de vista tático e logístico, pressupondo grandes danos nos equipamentos e pessoal, se compararmos com as campanhas no Oriente Médio e em outras regiões com clima mais brando, diz-se no artigo.

    "Ao se treinarem, os fuzileiros navais sempre devem lembrar que um conflito sério em tais condições exigiria deles o maior esforço que alguma vez empreenderam em suas vidas. Eles devem estar em estado adequado, tanto físico quanto psicológico, precisam de grande força de espírito", escreve o portal, citando o comandante do corpo, Robert Neller, que visitou o respectivo campo na Noruega em dezembro do ano passado.

    Ao mesmo tempo, estes esforços podem ser insuficientes para superar um inimigo potencial, pois nem todos os fuzileiros navais estão se preparando para combates invernais. Nessa sequência, as manobras na Noruega também possuem uma conotação política.

    "A presença do Corpo de forma rotativa é um sinal importante para a Rússia que a região está sob o radar estadunidense. Só por si isso não é um fator de contenção, mas através disso os EUA manifestam suas intenções de defender seu aliado no norte da Europa", disse Magnus Nordenman, diretor no programa transatlântico do Conselho Atlântico.

    Mais:

    EUA estarão prontos para possível guerra no espaço, afirma assessor de Trump
    EUA tencionam desencadear nova guerra no Oriente Médio; por que Europa é contra?
    De que lado ficaria Rússia em uma eventual guerra iraniano-israelense?
    Tags:
    treinamento militar, clima, guerra, inverno, Guerra da Coreia, Corpo de Fuzileiros Navais dos Estados Unidos, Noruega, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar