10:20 24 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    A base naval Mar del Plata após o desaparecimento do submarino argentino ARA San Juan

    Marinheiros russos examinam objeto desconhecido na zona de busca do submarino argentino

    © AP Photo / Esteban Felix
    Américas
    URL curta
    ARA San Juan: Argentina busca submarino perdido (50)
    8160

    Marinheiros militares russos analisaram mais um objeto submarino, na zona de busca do submarino argentino desaparecido ARA San Juan, a cerca de 950 metros de profundidade, comunicou o Departamento de Informação e Comunicações em Massa do Ministério da Defesa russo.

    "Segundo a informação, os marinheiros russos examinaram mais um objeto submarino a uma profundidade de entre 950 e 970 metros, na zona de busca do submarino perdido da Marinha da Argentina ARA San Juan", diz o comunicado.

    Segundo a informação, o objeto consiste em um bloco de concreto de grande dimensão.

    Acrescenta-se que o navio Islas Malvinas, com o submersível russo Pantera Plus a bordo, se movimentou para outro ponto de busca e está esperando que diminua a agitação marítima para continuar pesquisando o fundo.

    O submarino da Marinha da Argentina ARA San Juan desapareceu em 15 de novembro. Durante a última ligação, a tripulação do navio informou sobre um acidente. A bordo se encontravam 44 tripulantes, inclusive a primeira submarinista argentina, Eliana Krawczyk. A embarcação foi construída na Alemanha e começou a fazer parte da Marinha da Argentina em 1985.

    Na quinta-feira (30), quinze dias após o desaparecimento do submarino, a Marinha da Argentina decidiu interromper as buscas por sobreviventes, mas as buscas do próprio submarino continuam.

    Tema:
    ARA San Juan: Argentina busca submarino perdido (50)

    Mais:

    Sobre sumiço de San Juan: chances de sobrevivência da tripulação eram mínimas
    Argentina investigará se objeto encontrado no leito marinho é submarino perdido ou não
    Tags:
    busca, submarino, ARA San Juan, Marinha da Argentina, América do Sul, Argentina
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar