11:59 18 Novembro 2017
Ouvir Rádio
    Fotografia de Pinochet, com bandeira do Chile ao fundo

    Chile condena 35 militares por sequestro e tortura de mulher grávida durante ditadura

    © AP Photo/ Claudio Santana
    Américas
    URL curta
    539293

    Um juiz no Chile condenou 35 ex-agentes da policia secreta do general Augusto Pinochet pelo sequestro, tortura e desaparecimento forçado de uma mulher grávida em 1976.

    Reinalda Pereira estava grávida de cinco meses quando foi morta. Com 29 anos, ela era analista clínica e integrante do Partido Comunista — organização de oposição à ditadura de Augusto Pinochet.

    Em 11 de setembro de 1973, o presidente Salvador Allende foi derrubado por um golpe militar liderado por Pinochet que implantou uma ditadura que durou até 1990.

    O juiz Miguel Vazquez condenou Pedro Espinoza, Juan Hernan Morales e Ricardo Victor Lawrence a 10 anos de prisão. Outros agentes masculinos e femininos foram condenados a sete anos por envolvimento no crime, enquanto outros foram sentenciados a quatro anos por serem cúmplices.

    O juiz determinou que Reinalda foi sequestrada em 15 de dezembro de 1976 e levada a um quartel militar secreto onde foi espancada, torturada e teve seu corpo desaparecido. 

    Á época de seu desaparecimento, as autoridades da ditadura afirmaram que ela havia fugido para a Argentina e atravessado a Cordilheira dos Andes à pé. 

    Mais:

    EUA pedem que Brasil, Chile, México e Peru rompam laços diplomáticos com Coreia do Norte
    Não cuidar do seu animal de estimação agora dá cadeia no Chile
    Chile enfrenta a maior nevasca das últimas décadas
    Mensagem da América Latina: Chile e Uruguai condenam lançamento de míssil norte-coreano
    Tags:
    Augusto Pinochet, Chile
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik