23:25 25 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Sede de Mercosul

    Livre comércio existe ou não no fim das contas? Mercosul é analisado de perto

    © flickr.com/ Marcelo Campi
    Américas
    URL curta
    140

    A Sputnik Mundo falou com o jurista uruguaio Ramiro Chimuris sobre a evolução da política de protecionismo nos países desenvolvidos e em tais alianças econômico-comerciais como Mercosul (Mercado Comum do Sul).

    "Apesar do progresso e passos feitos nessa direção, na verdade não houve integração dos países do Mercosul. O processo de integração política ficou fragilizado, pois dependia dos vaivéns conjunturais dos que estavam governando os países fundadores e depois aqueles que se juntaram", assinalou Chimuris.

    "Na realidade, não há nenhuma integração verdadeira, e sim um olhar externo do próprio fluxo comercial", acrescentou este.

    "O protecionismo dos países desenvolvidos impõe sua política aos países em desenvolvimento", disse o analista, que é um dos membros do Comitê para a Anulação da Dívida do Terceiro Mundo. 

    O especialista opinou que a integração econômica possui uma concepção efêmera.

    "A política de integração, bem como o livre comércio, soa como efêmera. Até quando estes acordos comerciais são 'livres'? As próprias regras dentro do Mercosul e acordos assinados na verdade são normas de protecionismo, que ao invés de darem liberdade, amarram e põem obrigações", opinou Chimuris.

    "Em relação à Organização Mundial do Comércio, trata-se de um pool de empresas, não apenas de países, já que a Câmara do Comércio Internacional, que inclui as 140 maiores empresas multinacionais do planeta, faz parte da OMC e de um conglomerado nomeado do Pacto Global, operando no âmbito da ONU", acrescentou ele.

    "As conversações passam a ser mais protegidas e mais fechadas. Com muita frequência os termos são divulgados quando um conflito ou um processo contra os países já existe. Os acordos devem ser transparentes, com regras claras para os países saberem que investimentos estão sendo realizados", disse Chimuris em entrevista à Sputnik.

    Mais:

    Mercosul discute acordo de combate comum ao crime organizado
    Mercosul está disposto a fazer concessões à UE, mas exige contrapartidas
    'Protecionismo europeu' ainda trava acordo do Mercosul com a UE, diz especialista
    Tags:
    protecionismo, livre comércio, OMC, Mercosul, ONU
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik