06:13 17 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Rex Tillerson, secretário de Estado dos EUA (foto de arquivo)

    EUA anunciam sua decisão quanto ao acordo nuclear com o Irã

    © AFP 2017/ BEN STANSALL
    Américas
    URL curta
    1414

    O presidente norte-americano, Donald Trump, anunciará nesta sexta-feira (13) sobre a intenção de Washington de não abandonar o acordo nuclear firmado entre o Irã e seis outros países, afirmou em entrevista aos jornalistas o secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson.

    O secretário de Estado indicou que "tecnicamente", o Irã não viola os termos do acordo.

    "Não negamos que ele [o Irã] atua tecnicamente em conformidade com o JCPOA. Como já assinalamos, o acordo tem muitos pontos fracos, e um deles é que os padrões técnicos não são tão difíceis de serem cumpridos. Eles os cumprem. Uma das áreas que nos preocupa é a dificuldade de obter pleno acesso às instalações do Irã em prazos curtos", comunicou Tillerson.

    Enquanto isso, ele frisou que o presidente não confirmará a conformidade das ações de Teerã com os termos da lei norte-americana "Sobre a revisão do acordo nuclear com o Irã", aprovada em 2015, visando monitorar as ações da administração quanto ao Irã. De acordo com ele, o presidente norte-americano tem de fornecer, a cada 90 dias, um relatório se ou Irã cumpre ou não os termos do Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA, em inglês).

    Entretanto, Tillerson frisou que, além do acordo nuclear, há muitos outros fatores nas relações entre o Irã e os EUA "que nos preocupam".

    Em particular, ele mencionou o "apoio a organizações terroristas", "apoio direto" ao movimento Hezbollah, que visa "ameaçar Israel", "apoio ao movimento dos houthis no Iêmen e sua atividade desestabilizadora no Iêmen e exportação de terroristas estrangeiros para toda a região".

    Neste sentido, Tillerson anunciou que o presidente norte-americano dará ordem de introduzir sanções contra o Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica por "seu apoio ao terrorismo".

    "O presidente [Donald Trump] anunciará em seu comunicado que ordenou ao Ministério de Finanças […] para tomar medidas contra o Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica por seu apoio às ações terroristas na região", disse Tillerson, acrescentando que "quanto ao adicionamento do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica à lista de organizações terroristas, já consideramos isso. Mas há um conjunto de riscos e dificuldades na qualificação do exército inteiro de um país [como terroristas]".

    Anteriormente, o chefe do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica, Mohammad Ali Jafari, afirmou que as novas sanções ao Irã vão ser equivalentes à saída dos EUA do acordo nuclear. De acordo com ele, as novas sanções por parte de Washington levarão a que "desaparecerá para sempre a possibilidade" de colaboração futura entre os dois países.

    Mais:

    Rússia: Irã tem direito de sair do acordo nuclear se EUA reestabelecerem sanções
    Saída dos EUA do Acordo Nuclear fortalecerá Rússia e China
    Opinião: Irã continuará sendo vencedor mesmo que EUA anulem acordo nuclear
    Tags:
    JCPOA, decisão, acordo nuclear, programa nuclear iraniano, Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica, Donald Trump, Rex Tillerson, Irã, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik