07:10 14 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Luisa Ortega Díaz, ex-procuradora-geral da Venezuela (arquivo)

    Ex-procuradora-geral da Venezuela deixa a Colômbia com destino ao Brasil

    © REUTERS / Ivan Alvarado
    Américas
    URL curta
    17111
    Nos siga no

    A autoridade de controle migratório da Colômbia informou nesta tarde que a ex-procuradora-geral da Venezuela Luisa Ortega Díaz deixou hoje o país, onde estava desde a última sexta-feira, com destino ao Brasil.

    "Migración Colômbia se permite informar que, no dia de hoje, saiu rumo ao Brasil a senhora procuradora-geral da Venezuela, Luisa Ortega Díaz, que fez seu trâmite de emigração correspondente junto às autoridades colombianas."

    Ortega deixou a Venezuela junto com o seu marido, o deputado Germán Ferrer, alegando sofrer perseguição do governo de Nicolás Maduro, a quem acusa de ter ambições ditatoriais. Segundo ela, tal perseguição estaria ligada às investigações do esquema de propina protagonizado pela empreiteira brasileira Odebrecht em vários países da América Latina, incluindo a Venezuela.

    No último dia 5, a então procuradora foi destituída de seu cargo pela Assembleia Constituinte por "falhas graves no exercício de sua função". Duas semanas depois, contrariando orientações da Justiça venezuelana, decidiu sair do país com Ferrer, suspeito de envolvimento com extorsão. Ela chegou à Colômbia em um voo privado que partiu de Aruba. Na última segunda-feira, 21, o presidente colombiano, Juan Manuel Santos, disse que seu governo daria asilo político à venezuelana se ela assim desejasse. 

    Ortega vem ao Brasil para participar de uma reunião de procuradores do Mercosul, que será realizada em Brasília nesta quarta-feira.

    Mais:

    Venezuela: Constituinte decide anular Assembleia Nacional dominada pela oposição
    Moscou: Crise na Venezuela deve ser resolvida sem qualquer intervenção externa
    Muito petróleo, pouco dinheiro: Estaria a Venezuela próxima da falência?
    Tags:
    Mercosul, Odebrecht, Juan Manuel Santos, Nicolás Maduro, Luisa Ortega Díaz, Germán Ferrer, Luisa Ortega Diaz, América Latina, Aruba, Bogotá, Caracas, Brasília, Brasil, Colômbia, Venezuela, República Bolivariana da Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar