20:21 21 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Cerimônia de hasteamento da bandeira dos Estados Unidos em Havana, nesta sexta-feira, 14 de agosto de 2015

    Mistério continua: 'ataque acústico' em Cuba afetou mais de 10 diplomatas dos EUA

    © REUTERS / Pablo Martinez Monsivais
    Américas
    URL curta
    1047
    Nos siga no

    O número de diplomatas norte-americanos, submetidos a um suposto "ataque acústico" em Cuba, é maior, do que foi divulgado antes.

    A informação foi divulgada pela emissora CNN, que citou dois altos funcionários no governo dos EUA.

    Mais de 10 diplomatas americanos, e membros de suas famílias, foram vítimas de um "ataque acústico" na ilha socialista entre meados de novembro de 2016 e abril de 2017. As informações anteriores sobre o incidente relatavam que duas pessoas haviam sido afetadas por um dispositivo misterioso ainda não encontrado.

    Segundo as fontes da emissora, durante os ataques, a arma sonora provavelmente estava localizada do lado de fora das residências dos diplomatas norte-americanos. As vítimas relataram que os ataques provocaravam mal mal-estar físico súbito, dores de cabeça, vômito e perda auditiva.

    Em junho deste ano, alguns diplomatas canadenses relataram sintomas semelhantes.

    Durante meses, EUA e Cuba mantiveram contato sobre os supostos ataques. Os funcionários do governo americano destacaram que as autoridades cubanas levaram a questão a sério e permitiram agentes da FBI e da polícia do Canadá a viajar para Havana para realização das investigações.

    Durante a inspeção das respectivas dos diplomatas, nada foi encontrado.

    Mais:

    Quais podem ser as consequências do afastamento entre os EUA e Cuba?
    Mídia: administração de Trump pensou em declarar ultimato a Cuba
    Chancelaria cubana: 'Novos bloqueios dos EUA em Cuba estão destinados ao fracasso'
    Trump anuncia 'completa anulação' do acordo de Obama com Cuba
    Trump vai restringir viagens particulares a Cuba
    Tags:
    mistério, ataque acústico, CNN, Cuba, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar