14:37 18 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Fotografia de Pinochet, com bandeira do Chile ao fundo

    Justiça chilena confirma o assassinato de ex-presidente durante o regime de Pinochet

    © AP Photo/ Claudio Santana
    Américas
    URL curta
    130

    Justiça do Chile confirmou à família do ex-presidente chileno Eduardo Frei Montalva (1964-1970) que este foi morto durante a ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990).

    "Depois de 15 anos, o ministro Madrid (juiz responsável pelo processo) disse que foi um assassinato, que Frei foi assassinado", revelou à imprensa o filho do político, o também ex-presidente chileno Eduardo Frei Ruiz-Tagle (1994-2000).

    A versão oficial da morte do ex-presidente Frei Montalva, em 1982, durante a ditadura, afirmava que ele morreu depois de sofrer complicações durante uma cirurgia do aparelho digestivo. Em 2009, no entando, a Justiça abriu um processo contra seis  pessoas, por suspeita de homicídio. O caso ainda está sendo investigado.

    De acordo com Frei Ruiz, justiça apresentará ​​acusação contra os médicos Patricio Silva, Pedro Valdivia, Helmar Rosenberg e Sergio González; o motorista da família, Luis Becerra e ao agente da  Diretoria de Inteligência Nacional (DINA), Raúl Lillo, pelo assassinato do ex-presidente.

    "Este é um passo importante. É um passo importante na construção de verdade e da justiça no nosso país. Foram quase 35 anos à procura da verdade, e a hora está chegando", disse Frei Ruiz.

    Mais:

    Maduro afirma que Temer é pior que Pinochet e o chama de sicário
    Em memória de Letelier: como os EUA ajudaram a matar rival de Pinochet
    Assassino da ditadura de Pinochet condenado nos EUA
    Tags:
    justiça, verdade, assassinato, ditadura, Eduardo Frei Ruiz-Tagle, Eduardo Frei Montalva, Augusto Pinochet, Chile
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik